Friday, November 17

Sexta-feira da Semana XXXII do Tempo Comum


Reflexão
A hora será inesperada. Será uma hora menos pensada: como nos tempos de Noé; como na destruição de Sodoma e Gomorra nos tempos de Lot. O homem de hoje, imerso no materialismo mais atroz, não se dará conta de que se aproxima a hora. Deus está ausente do seu horizonte. Por isso a vinda do Filho do Homem e o Juízo consequente, serão inesperados. Por isso é preciso estar sempre preparado: o juízo de Deus está a fazer-se aqui e agora; no lugar onde cada um se encontra; o quando, o como e o onde, são secundários. O que importa é estar preparados.

Wednesday, November 15

Quarta-feira da Semana XXXII do Tempo Comum

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=1730

Reflexão
Onde estão os outros nove? Jesus tece um hino à fé agradecida do samaritano. A lepra é um símbolo e efeito do pecado. O samaritano alcança a salvação em plenitude.
Os outros nove, são um símbolo da contabilidade espiritual mercantilista, pois a salvação é sempre iniciativa de Deus. Por isso não basta pertencer sócio-religiosamente à Igreja, mas com alimentar a sua fé, e em dar graças continuamente ao Senhor. A Eucaristia é uma perene acção de graças a Deus.

Tuesday, November 14

Terça-feira da Semana XXXII do Tempo Comum

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=1729

Reflexão
Os fariseus, isto é os crentes que se vangloriam dos próprios méritos, não passam de servos inúteis, aos olhos de Deus. À atitude mercantilista do próprio mérito, opõe Jesus a da amizade do serviço incondicional a Deus e aos irmãos. O autêntico discípulo de Cristo, não se serve, serve.
Para Deus não conta o sentido utilitarista da eficácia dos barómetros da nossa produtividade. O nosso gozo e a nossa glória estão em sermos fiéis servidores do próprio Cristo. Humildes servidores, mas não inúteis.

Monday, November 13

Pensamento do dia: 13-11-2017

A alegria não está nas coisas, mas em nós. (Wagner)

Segunda-feira da Semana XXXII do Tempo Comum


Reflexão
O perdão fraterno é ilimitado. Os escândalos aos mais débeis e mais simples, recebem castigos severos. Por outro lado, Jesus atribui um valor e um poder impressionante à fé. Não é um problema de quantidade, mas de qualidade.
A súplica dos apóstolos reflecte uma situação de crise. Há crises de fé religiosa e humana evidentes. Ela situa-se num contexto da experiência religiosa pessoal.
A fé aprofunda-se mediante a oração, o estudo da leitura bíblica, a meditação, etc.

Friday, November 10

Pensamento do dia: 10-11-2017

A alegria evita mil males e prolonga a vida. (William Shakespeare)

Memória litúrgica de São Leão Magno, papa e doutor da Igreja


Reflexão
Não é a corrupção ou falta de honradez que se põe como modelo, mas sim a sagacidade, a esperteza para solucionar o problema da sua sobrevivência. É um exemplo para os filhos da luz, no seu esforço pela consecução do Reino, que merece o dispêndio de todas as energias, o imaginário de todas as soluções. É indispensável, pois renunciar a tudo o que seja contrário a Jesus Cristo, e decidir-se pelo Reino de Deus, definitivamente. Isso admite investir todos os talentos, segundo os critérios de Jesus.

Thursday, November 9

Pensamento do dia: 09-11-2017

Todo homem é construtor do seu próprio templo. Somos escultores e pintores, e o material é nossa própria carne, sangue e ossos. (Henry David Thoreau)

Festa litúrgica da Dedicação da Basílica de Latrão


Reflexão
Segundo uma tradição que remonta ao século XII, celebra-se neste dia o aniversário da dedicação da basílica de Latrão, construída pelo imperador Constantino. Inicialmente foi uma festa exclusivamente da cidade de Roma; mais tarde, estendeu-se à Igreja de rito romano, com o fim de honrar a basílica que é chamada a igreja mãe de todas as igrejas da Urbe e do Orbe e como sinal de amor e unidade para com a Cátedra de Pedro que, como escreveu Santo Inácio de Antioquia, preside à assembleia universal da caridade.

Tuesday, November 7

Terça-feira da Semana XXXI do Tempo Comum


Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=1711

Reflexão
As portas do Reino abrem-se a todos os povos. Assim o deixa entender o banquete aberto a todos. Uns recusam o convite, cada qual invocando circunstâncias, quem sabe, oportunas da sua própria vida.
Através de uma simples parábola Jesus faz um convite para a vida eterna. Os convidados da parábola apresentaram muitas desculpas, mas nós não podemos recusar os convites do Senhor. Assim, precisamos usar os talentos recebidos e devemos dedicar-nos ao serviço do Senhor e praticar a caridade.

Friday, October 27

Sexta-feira da Semana XXIX do Tempo Comum:


Reflexão
A ciência e técnica contribuem a conhecer os sinais indicadores da natureza. O tempo presente também deve ser adequadamente lido, para uma planificação em ordem ao futuro. Jesus convida-nos a interpretar o tempo presente como tempo de graça e de salvação.
São os sinais dos tempos. Trata-se, antes de mais, da Pessoa e obras de Jesus. O discernimento desses sinais, requer uma sabedoria que só se aprende com a fé. Daí a necessidade de estarmos atentos a tudo, pois também no mundo acontece o Reino de Deus.

Thursday, October 26

Quinta-feira da Semana XXIX do Tempo Comum

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=1701

Reflexão
A paz tem um preço. O fogo é uma figura habitual na Bíblia, para exprimir o juízo de Deus que purifica o homem, como o ouro no crisol. Fogo que está já a actuar na comunidade dos crentes. O próprio Jesus é o primeiro a passar tal prova, pelo baptismo no Seu sangue.
Esta situação conflituosa da luta entre o Bem e o Mal atinge o coração da família e de cada crente. Tal experiência já foi vivida pelos primeiros cristãos. O seguimento do reino está por cima de todo o apego familiar ou material.
Seguir Jesus como discípulo tem um preço que pode ser mesmo a própria vida. São as pequenas opções por Cristo, que nos levam à entrega total e sem condições.

Wednesday, October 25

Quarta-feira da Semana XXIX do Tempo Comum


Reflexão
Em duas parábolas, Jesus pretende o mesmo efeito: acentuar o inesperado da vinda do Senhor. A sua chegada é comparada à do ladrão, na noite. Na parábola do mordomo há uma referência directa aos Pastores das comunidades.
Assim o tempo da Igreja é tempo de vigilância, como o reconheceram as comunidades primitivas. A vigilância activa é, portanto, o estilo de vida permanente do cristão, situado no já e no ainda não. Ele virá, mas não sabemos quando... nem o dia... nem a hora!...

Monday, October 23

Pensamento do dia: 23-10-2017

A alegria e o sofrimento são inseparáveis como compassos diferentes da mesma música. (Hermann Hesse)

Segunda-feira da Semana XXIX do Tempo Comum






Reflexão
O pecado do rico não é ser rico nem previdente. É desentender-se de Deus, a quem nada agradece, e dos irmãos, com quem nada partilha. Converteu-se num idólatra do seu dinheiro e dos seus haveres.
Os ídolos do coração humano são múltiplos: o dinheiro, o poder, o prazer e o sexo, a cobiça, a droga, e até a ciência e a técnica, quando se absolutizam. A tentação do consumismo é universal e vivemos alienados pelo ter. As consequências dessa idolatria é o consumismo degradante que converte os homens em máquinas de produção e consumo, bloqueia a solidariedade e a fraternidade, e leva à exploração vergonhosa dos mais pobres.

Friday, October 20

Sexta-feira da Semana XXVIII do Tempo Comum


Reflexão
Neste texto, temos vários ensinamentos de Jesus aos seus discípulos, em ordem a eles saberem viver num meio que lhes será adverso e a manterem-se firmes e confiantes entre as contrariedades da vida. Não temais! Pois, se o Senhor está connosco! Os ai de vós dirigidos por Jesus aos fariseus e doutores da lei têm por objectivo alertar os discípulos para a necessidade de se defenderem da hipocrisia farisaica. Põe-se o problema da perseverança e da fidelidade, solicita-se aos cristãos um comportamento marcado pela autenticidade e pela clareza e oferecendo-lhes uma palavra de consolação que se torna convite à confiança em Deus. Os cristãos, ao contrário dos fariseus, devem fazer com que as suas palavras correspondam ao que pensam e sentem, professando abertamente e sem medo a sua fé, custe o que custar, porque nada há encoberto que não venha a descobrir‑se.

Thursday, October 19

Pensamento do dia: 19-10-2017

Rejeitar as nossas experiências é impedir o nosso desenvolvimento. (Oscar Wilde)

Quinta-feira da Semana XXVIII do Tempo Comum


Reflexão
Possuidores da chave do saber religioso, os doutores da Lei fecham e não abrem a porta da salvação aos simples. Deus enviou-lhes profetas e apóstolos que, segundo a tradição os perseguem e matam. A Bíblia enumera 104 profetas, dos quais 49 não deixaram nome. Hoje como ontem, a vida dos profetas não é fácil e a sua missão é, muitas vezes, rejeitada.

Wednesday, October 18

Festa litúrgica de São Lucas, evangelista


Reflexão
Nascido em Antioquia (Síria) Lucas é um homem de cultura multifacetada. Atraído pela figura e pelo exemplo de Paulo, Lucas converte-se e coloca-se ao serviço do Apóstolo. Passa a ser o companheiro inseparável, mesmo quando outros discípulos o abandonam. Lucas é também um atento observador da vida de Maria. O tema fundamental do seu Evangelho, é a admissão dos pagãos à participação no Reino. Lucas é o auscultador atento dos sentimentos humanos de Cristo.

Tuesday, October 17

Terça-feira da Semana XXVIII do Tempo Comum


Reflexão
Jesus não suporta a hipocrisia. Por isso, não se submete à prática pseudo-religiosa das abluções rituais, ditadas pelas tradições rabínicas. Jesus acusa-os de hipócritas, avarentos e intemperantes, fazendo-lhes ver a necessidade da conversão interior.
Os ritos têm a sua importância, mas não podem ser absolutizados. As atitudes pessoais do crente, são o fundamento da comunhão do homem com Deus. A nova lei do crente é o mesmo Jesus em Pessoa. Ele é nova e única mediação libertadora.

Monday, October 16

Pensamento do dia: 16-10-2017

Nada há mais querido e agradável a Deus como a conversão dos homens a Ele com um arrependimento sincero. (São Máximo)

Segunda-feira da Semana XXVIII do Tempo Comum


Reflexão
Jesus nega-se à demagogia dos milagres sem sentido. Ao condenar a incredulidade dos judeus, apenas lhes garante o sinal da ressurreição, prefigurado no sinal de Jonas. O único sinal salvador para todos é a cruz de Cristo, escândalo para os judeus, loucura para os pagãos. Os judeus sujeitam a um milagre a sua conversão... Os milagres apenas convidam o homem à fé. Deus só quer homens livres e comprometidos com a sua vocação de amor e de serviço.

Friday, October 13

Sexta-feira da Semana XXVII do Tempo Comum

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=1687

Reflexão
Todo o sinal é ambivalente. Depende de quem o interprete. Foi o que sucedeu com a cura do possesso: Uns admiraram o poder libertador de Jesus e a bondade de Deus manifesta n’Ele; outros fizeram-No cúmplice do próprio demónio. Só a fé ajuda a compreender os sinais (milagres) como provenientes de Deus.
Todo sinal de Deus, como palavra eficaz do mesmo Deus, apela a uma opção a favor ou contra. A sorte do povo de Israel é semelhante à do possesso curado. O povo eleito, hoje, é a Igreja e é nela que optamos ou não, pelo Senhor.

Thursday, October 12

Pensamento do dia: 12-10-2017

A oração é um impulso do coração. (Santa Teresa de Lisieux: 1873-1897)

Quinta-feira da Semana XXVII do Tempo Comum


Reflexão
As comparações de Jesus ilustram bem a Sua ideia quanto à necessidade, à perseverança e à eficácia da oração. Esta estará hoje numa situação de crise, tanto a nível individual como familiar e comunitária.
Que atitudes tomar? O desprezo, o descuido e o abandono são atitudes negativas; o amor, a estima e prática fiel e eficaz são atitudes positivas. É fundamental rezar, à medida e semelhança de Cristo. Oração pessoal e comunitária, na intimidade ou em grupo, no trabalho ou no recolhimento. Homem sem oração é um animal sem razão, diz São Filipe de Néri.

Wednesday, October 11

Quarta-feira da Semana XXVII do Tempo Comum


Reflexão
Apesar de pequenas variantes, a coincidência da oração do Senhor é básica e clara, nos Evangelhos de Mateus e de Lucas. A versão de Mateus (7 petições) era mais do uso litúrgico e habitual; a de Lucas (5 petições), reflecte, porventura, com mais fidelidade as palavras do Senhor.
O Pai-nosso é uma verdadeira síntese do Evangelho. Ao chamarmos todos a Deus por Pai entramos no círculo da família trinitária. No Abbá – Papá, culmina a história da oração de todos os tempos. Todos necessitamos descobrir no Pai-Nosso uma escola de oração e a sua verdadeira linguagem de filhos e de irmãos.

Tuesday, October 10

Pensamento do dia: 10-10-2017

A oração torna os nossos corações transparentes e só um coração transparente pode escutar a Deus. (Madre Teresa de Calcutá)

Terça-feira da Semana XXVII do Tempo Comum


Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=1684

Reflexão
A comunidade familiar de Betânia dá hospitalidade a Jesus. Marta desenvolve actividade desbordante sendo exemplo do activismo. Maria soube aproveitar a ocasião para escutar a Palavra, à qual pertence a primazia. Trabalho e oração podem andar juntos, pois não constituem nem oposição nem um dilema.
Marta e Maria representam para os crentes, duas atitudes complementares de busca e de acolhimento do Reino de Deus. Não se trata de alternativa. Ambas se complementam numa simbiose perfeita. Antes de falarmos ao mundo de Deus, falemos a Deus do mundo.

Wednesday, October 4

Pensamento do dia: 04-10-2017

A cortesia é irmã da caridade, apaga o ódio e fomenta o amor. (São Francisco de Assis)

Memória litúrgica de São Francisco de Assis


São Francisco de Assis
Nasceu em Assis, no ano 1182. Depois de uma juventude leviana, converteu se a Cristo, renunciou a todos os bens paternos e entregou se inteiramente a Deus. Abraçou a pobreza para seguir mais perfeitamente o exemplo de Cristo e pregava a todos o amor de Deus. Formou os seus companheiros com normas excelentes, inspiradas no Evangelho, que foram aprovadas pela Sé Apostólica. Fundou também uma Ordem de religiosas e uma Ordem Terceira para seculares; e promoveu a pregação da fé entre os infiéis. Morreu em 1226.

Tuesday, October 3

Terça-feira da Semana XXVI do Tempo Comum


Reflexão
Jesus começa o caminho que terminará na Ascensão. Os samaritanos recusam-se a receber Jesus. Este repreende os apóstolos por quererem convertê-los à força. A violência não é método a ser utilizado pelos homens do Reino, mas sim o amor, a compreensão, a tolerância, o respeito pela pessoa dos outros. Não pode haver intransigência nem fanatismo religioso. Ante a atitude justiceira dos apóstolos, Jesus prefere, mesmo nos dias que correm, o fogo do amor.

Sunday, October 1

Pensamento do dia: 01-10-2017

A alegria de fazer o bem é a única felicidade verdadeira. (Lev Tolstoi)

Domingo XXVI do Tempo Comum

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=1669

Reflexão
Jesus deixa claro que não interessa muito o exterior mas a atitude interior. O que importa a Deus não é o que cumpre ritos externos e que dá boa impressão aos outros mas é aquele que cumpre a vontade de Deus. Enquanto a Palavra de Deus não entrar no coração do homem, o tocar e o converter, não são as palavras que lhe saem da boca que o fazem entrar no reino de Deus. Mas, se o seu coração estiver convertido e voltado para Deus, então o Senhor o acolhe e o recebe.
Muitas vezes também podemos cair neste erro: participamos na Missa Dominical, fazemos as nossas orações, mas a nossa fé, a nossa celebração, não se nota na nossa vida de cada dia. Reduzimos a nossa identidade como cristãos numa série de práticas que realizamos pessoalmente e em determinados momentos da nossa vida. As nossas celebrações e orações devem também deixar uma marca nos nossos corações. Experimentar que Deus nos ama e que nos quer salvar é o melhor caminho para que a fé se converta realmente num modo de viver e de estar.
Nós que celebramos a Eucaristia, não devemos esquecer que ela termina com a frase: Ide em paz e que o Senhor vos acompanhe. É o mesmo que dizer que o que ouvimos ou que aclamámos e o que celebrámos é para viver na nossa vida. Não devemos ter a tentação de na celebração da missa dizer sim, eu vou e na nossa vida quotidiana não haver a devida coerência.

Friday, September 29

Festa litúrgica de São Miguel, São Gabriel e São Rafael, Arcanjos

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=627

Reflexão
O israelita sem fingimento, recebeu a garantia de ver os anjos de Deus. Entre eles, Miguel é o Príncipe dos Anjos, o Arcanjo dos supremos combates, o protector da Igreja; Gabriel é o mensageiro da Encarnação, o enviado das grandes embaixadas divinas, o revelador dos mistérios salvadores de Deus; Rafael é eficaz protetor nas provações da vida, companheiro de viagem e confidente dos segredos de Deus. Tal como na vida de Jesus, assim os anjos participam eficazmente na nossa vitória sobre as forças do mal!

Thursday, September 28

Pensamento do dia: 28-09-2017

A adversidade restitui aos homens todas as virtudes que a prosperidade lhes tira. (Eugéne Delacroix)

Quinta-feira da Semana XXV do Tempo Comum


Reflexão
Herodes, perplexo pelo que ouvia dizer de Jesus, também perguntava por Ele. Frívolo e incrédulo, mas curioso e astuto, dissimula facilmente as suas intenções assassinas. No fundo, não aceita alguma das versões que corre entre o povo acerca de Jesus. Na paixão vai conhecê-lo.
Jesus, afinal era já o Messias esperado e anunciado pelos profetas. À luz da fé pascal, todas as dúvidas serão dissipadas. À sua categoria de Deus, Jesus acrescentava a plenitude de todos os valores humanos. Quem é Ele para nós, homens do terceiro milénio?

Wednesday, September 27

Pensamento do dia: 27-09-2017

Ao servir os pobres, serve-se a Jesus Cristo. (São Vicente de Paulo)

Memória litúrgica de São Vicente de Paulo


São Vicente de Paulo
Nasceu na Aquitânia em 1581. Completados os estudos e ordenado sacerdote, exerceu o ministério paroquial em Paris. Fundou a Congregação da Missão, destinada à formação do clero e ao serviço dos pobres; com a ajuda de S. Luísa de Marillac instituiu também a Congregação das Filhas da Caridade. Morreu em Paris no ano 1660.

Tuesday, September 26

Pensamento do dia: 26-09-2017

A admiração é a essência da contemplação. (Anthony de Mello)

Terça-feira da Semana XXV do Tempo Comum


Reflexão
Às atitudes de escuta e de resposta à Palavra se remete Jesus, para designar a sua verdadeira família, segundo o Espírito do Reino de Deus. Pertencem à sua família, se entregam sem reservas à vontade de Deus. Maria foi a primeira e a melhor discípula, a primeira crente e modelo da Igreja. A reflexão de Jesus não é desprezo pela Sua Mãe, é um louvor implícito dela. Como ela, podemos ser discípulos atentos e cumpridores da sua palavra.

Monday, September 25

Segunda-feira da Semana XXV do Tempo Comum



Reflexão
Cristo é a luz destinada a iluminar os ínvios caminhos do mundo. Entretanto a sua Pessoa e mensagem passam por uma etapa de penumbra, até à manifestação plena. Também o seu discípulo deverá estar consciente de que ele também é luz. Mistério que não é privilégio de minoria de superdotados, pois está ao alcance de todos. Os membros do novo Povo de Deus. Os seus discípulos na fé e nas obras, herdaram de Cristo a sublime missão de ser luz para o mundo!

Sunday, September 24

Pensamento do dia: 24-09-2017

A acção não surge do pensamento, mas de uma disposição para assumir responsabilidades. (Dietrich Bonhoeffer)

Domingo XXV do Tempo Comum


Reflexão
A liturgia do 25º Domingo do Tempo Comum convida-nos a descobrir um Deus que tem caminhos e pensamentos acima daqueles que orientam a lógica do homem. O homem deve renunciar aos esquemas que seguem o mundo e converter-se aos esquemas de Deus.
No Evangelho de Mateus, Jesus continua a ensinar os Seus discípulos acerca do que é o Reino de Deus e da melhor maneira de o compreender e testemunhar. Para isso, conta a parábola daquele senhor que vai contratar trabalhadores para a sua vinha ao longo do dia e que dá como recompensa um denário para todos eles, tanto para quem trabalhou todo o dia como também para quem trabalhou apenas uma hora.
Se pensarmos bem e honestamente, nós muitas vezes somos muito mesquinhos, pouco generosos e muito calculistas. Para nós, a justiça é dar a cada um o que lhe pertence e até a representamos com a imagem de uma mulher, com a balança na mão e de olhos vendados. E podemos concluir desta maneira de pensar: “quem trabalhou mais, merece receber mais”.
A Palavra de Deus deste domingo vem dizer-nos que Ele não tem balança, não pesa as nossas boas obras, não conta os nossos méritos nem usa medida. Tem os olhos muito abertos para atender as necessidades dos Seus filhos, Ele é simplesmente bom, o Seu amor é gratuito e livre e torna iguais todos os homens. Aos últimos Ele dá a recompensa mesmo do pouco que fizeram e dos primeiros liberta-os da inveja e do ciúme por se julgarem mais merecedores que os outros. Deus dá-se a todos de igual modo e vai além de toda a justiça e de todo o mérito. Ele pede-nos uma transformação da nossa mentalidade, para que a nossa relação com Ele não seja marcada apenas pelo interesse, mas pelo amor e pela gratuitidade que Ele quiser nos dar.
A parábola convida-nos a perceber que Deus oferece a salvação a todos nós de uma maneira gratuita, e não por qualidades e comportamentos que tenhamos. Devemos fazer o bem e proceder de maneira recta para encontrarmos com ajuda de Cristo a felicidade e a vida eterna.

Friday, September 22

Sexta-feira da Semana XXIV do Tempo Comum


Reflexão
Neste texto exclusivo de Lucas, Jesus confere a um grupo de mulheres uma dignidade e um papel inédito no seu tempo; reconhece-lhes o direito de serem suas discípulas, escutando e conhecendo o Evangelho do Reino, associando-as à obra da evangelização, ao lado dos Doze.
A atitude de Jesus contrasta com a dos escribas do seu tempo e de todos os tempos, que não reconhecem à mulher, capacidade para compreender a Torá e, por isso mesmo, rabino algum tinha mulheres entre os seus discípulos. No Evangelho, porém, a mulher tem um lugar de destaque, a tal ponto que são elas que levam aos Apóstolos, a notícia da Ressurreição. Como seria bom meditar nesta dignidade da mulher e ser consequente com ela, mesmo na vida da Igreja!…

Thursday, September 21

Festa litúrgica de São Mateus, Apostolo


Reflexão
O cobrador de impostos ao povo judeu para pagar aos romanos, era uma profissão muito mal conceituada. Mas também para esses veio o Reino de Deus. Jesus chama radical e incondicionalmente: Segue-me. A misericórdia de Jesus manifesta-se a todos, mesmo aos desprezados, como Mateus.
A gratidão é indispensável perante os gestos do amor de Deus, por isso Mateus recebe-o em sua casa.
São Paulo chama a atenção para os perigos de divisão, mesmo entre os cristãos, agravado pelos falsos carismas e erros doutrinais. Esclarece que, na diversidade de membros e funções existe unidade orgânica na Igreja, santificada pela vida, à medida de Cristo.

Wednesday, September 20

Pensamento do dia: 20-09-2017

A alegria de fazer o bem é a única felicidade verdadeira. (Lev Tolstoi)

Memória litúrgica dos Santos André Kim Taegon, presbítero, Paulo Chang Hasang, e Companheiros, mártires


Santos André Kim Taegon, presbítero, Paulo Chang Hasang, e Companheiros, mártires
No início do século XVII, por iniciativa de alguns leigos, entrou pela primeira vez a fé cristã na Coreia. Assim se formou uma comunidade forte e fervorosa, sem pastores, quase só conduzida por leigos, até ao ano 1836, durante o qual chegaram os primeiros missionários, vindos de França, que entraram furtivamente na região. Nas perseguições dos anos 1839, 1846 e 1866, surgiram desta comunidade 103 santos mártires, entre os quais se distinguem o primeiro presbítero e ardente pastor de almas André Kim Taegon e o insigne apóstolo leigo Paulo Chong Hasang. Os outros são quase todos leigos, homens e mulheres, casados ou não, anciãos, jovens e crianças, que, suportando o martírio, consagraram com o seu glorioso sangue os florescentes primórdios da Igreja coreana.

Tuesday, September 19

Terça-feira da Semana XXIV do Tempo Comum



Reflexão
Jesus ressuscita um morto, como, no Antigo Testamento, o tinham feito Elias e Eliseu. Assim, Jesus Se manifesta grande profeta, como a multidão acaba por reconhecer. Na sua pessoa, Deus está presente no meio do seu povo, numa visita de salvação e, nesta ressurreição, Jesus adianta um sinal da sua futura ressurreição.

Monday, September 18

Segunda-feira da Semana XXIV do Tempo Comum



Reflexão
Neste relato de Lucas encontramos um cenário maravilhoso: o centurião e o seu servo, doente; a fé do suplicante e a palavra eficaz de Cristo; o centurião admira a Pessoa e o poder de Jesus e Jesus admira a fé do centurião; a cura do servo, ante a maravilhosa síntese da fé, humildade e confiança do centurião. Todos os dias em que comungamos, repetimos a frase do centurião: não sou digno!…

Friday, September 15

Memória litúrgica de Nossa Senhora das Dores


Reflexão
Depois de celebrarmos a Exaltação da Santa Cruz o nosso olhar volta-se para aquela que estava junto à cruz de Jesus, sua mãe. A palavra que nos acompanha é da carta aos Hebreus e recorda que, Cristo não levou uma vida de facilidades como era de esperar de um filho de Deus. Viu-se na aflição e na dor e experimentou a angústia e as lágrimas. No meio do sofrimento suplicou àquele que o podia livrar da morte e foi atendido, mas antes passou pelo sofrimento. A obediência alcançou a salvação.

Thursday, September 14

Pensamento do dia: 14-09-2017

A caridade começa em casa e a justiça na porta ao lado. (Charles Dickens)

Festa litúrgica da Exaltação da Santa Cruz



Reflexão
No deserto, a serpente de bronze foi sinal de salvação para o povo. No calvário, a cruz é sinal do amor redentor de Deus.
A cruz não é sinal de morte, mas de vida, o instrumento da nossa total libertação. A cruz entranha o paradoxo da morte e da vida. Como sinal da morte, ela proclama a nossa glorificação suprema.
Só pela fé poderemos entender o mistério da cruz, que é o mistério do Amor que assume a condição humana para salvar todo o homem e o homem todo.

Wednesday, September 13

Pensamento do dia: 13-09-2017

A alegria abre, a tristeza fecha o coração. (São Francisco de Sales)

Quarta-feira da Semana XXIII do Tempo Comum



Reflexão
O homem é feliz, quando olha para este mundo com os olhos de Deus; e infeliz, quando o aprecia com o coração egoísta e orgulhoso. É no coração que o homem é rico ou pobre. Como for o seu coração diante dos bens deste mundo, assim ele será feliz ou infeliz, de Deus ou contra Deus. É preciso saber amar e saber renunciar, para dar a cada coisa o seu justo valor. São Lucas resume as bem-aventuranças em quatro e apresenta também quatro maldições.
O verdadeiro discípulo de Jesus é pobre, manso, misericordioso, fazedor de paz, puro de coração e possui a bem-aventurança de quem acolhe a palavra de Deus na pregação de Jesus e procura adequar a vida a essa palavra.

Tuesday, September 12

Terça-feira da Semana XXIII do Tempo Comum


Reflexão
A escolha dos doze Apóstolos como alicerce da sua Igreja, tem relação íntima com as doze tribos do povo de Deus, Israel.
Curioso o facto desta decisão importante ser tomada após uma noite de oração. Depois desce à planície e continua o seu ministério apostólico.
O título de apóstolo, que não foi exclusivo dos doze, é hoje atribuído a todo o cristão, na medida em que serve a missão evangelizadora da Igreja dos nossos dias.

Friday, September 1

Pensamento do dia: 01-09-2017

A alegria de fazer o bem é a única felicidade verdadeira. (Lev Tolstoi)

Sexta-feira da Semana XXI do Tempo Comum


Reflexão
O tempo da Igreja é um tempo de graça… Urge uma vigilância activa ao cumprir a missão recebida. A vigilância não é evasão. Se Deus pede contas, a melhor resposta há-de ser uma vida plena. Toda a vida tem um fim e um sentido. A Vida temporal termina na morte, mas a morte não é o fim da vida. Vigiai e orai, eis aqui a atitude de todo o que vive da esperança. O aparente egoísmo das virgens prudentes, é tão somente um constante apelo à responsabilidade.

Thursday, August 31

Quinta-feira da Semana XXI do Tempo Comum


Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=1637

Reflexão
O final do Evangelho de São Mateus contém várias parábolas sobre a vigilância. Aquela que hoje se lê dirige-se particularmente aos chefes da comunidade, que hão-de ser fiéis e avisados, mas é igualmente uma prevenção para todos nós, que aguardamos a vinda do Senhor. Este discurso não visa assustar, mas encorajar. Jesus exorta à vigilância: Vigiai!, Estai preparados! O dono deve vigiar a casa, mas também os servos, que são seus amigos e estimam a casa. O servo fiel e prudente faz as vezes de dono da casa e trata bem os seus companheiros. O mau servo aproveita a ausência do dono para desperdiçar os bens e maltratar.

Monday, August 7

Segunda-feira da Semana XVIII do Tempo Comum


Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=1618

Reflexão
Jesus teve compaixão da multidão e para alimentá-la multiplicou os pães e os peixes, na perspectiva do reino de Deus. Na fome da multidão espelha-se a longa noite de espera pela liberdade messiânica. Quatro quintos da humanidade passa fome. A miséria, património quotidiano do mundo subdesenvolvido, está à espera dum grito de libertação. O lema da Igreja é a opção fundamental pelos pobres, na fidelidade a Cristo. Em cada missa celebramos a multiplicação dos pães.

Friday, August 4

Memória litúrgica de São João Maria Vianney, presbítero

São João Maria Vianney nasceu perto da cidade de Lião, em França, a 8 de Maio de 1786. Cedo descobriu a sua vocação para o sacerdócio. Mas foi excluído do seminário pela sua dificuldade nos estudos. Foi, então, ajudado pelo pároco de Écully e, com quase trinta anos, foi ordenado sacerdote em Grenoble. Em 1819, foi nomeado pároco de Ars. Permaneceu quarenta e dois anos a paroquiar a pequena aldeia, que transformou, graças à sua bondade, à pregação da palavra de Deus, a sua mortificação e à sua caridade. A sua fama espalhou-se de tal forma que gente de toda a parte o procurava para se confessar e ouvir os seus conselhos. Faleceu a 4 de Agosto de 1859. Foi canonizado por Pio XI, em 1925, que também o declarou padroeiro de todos os párocos.


Reflexão
Jesus é repelido como profeta, até pelos seus conterrâneos. Não querem aceitar a novidade da Sua mensagem. Tal como predissera Simeão, é sinal de contradição. Também nos nossos dias. Os profetas da conversão são arautos da verdade pura e dura. Ele encontra hoje as mesmas dificuldades e a mesma falta de fé, entre aqueles que mantêm a filosofia dos escribas e dos fariseus e daqueles que O consideram ainda o filho do Carpinteiro, em antítese à sua filiação divina: o Verbo de Deus feito Homem.

Thursday, August 3

Quinta-feira da Semana XVII do Tempo Comum


Reflexão
Como a Moisés, Deus manifesta-se de diversos modos. O núcleo da parábola é a selecção desigual para justos e não justos, a inevitável presença de bons e maus, tanto no Reino de Deus, como no mundo e na Igreja.
A visão de conjunto do Reino de Deus, pode-se concretizar em três pontos: a implantação do Reino de Deus não se faz sem dificuldades (parábola do semeador; acabará, no entanto, por triunfar (grão de mostarda e fermento); é necessário ter paciência e não precipitar o juízo de Deus (o joio e a rede).

Wednesday, August 2

Quarta-feira da Semana XVII do Tempo Comum



Reflexão
À falta de bancos e caixas fortes o dinheiro e as jóias eram escondidas debaixo da terra. Jesus acentua grande alegria pelo encontro desses tesouros, em função do descobrimento do Reino. Jesus acentua a enorme alegria pelo seu encontro. Os santos tudo sacrificam pelo seguimento do reino. Todos buscam um tesouro fabuloso. Mas primeiro está o Reino de Deus.
A felicidade não está em ter, gastar, amontoar e consumir... mas certamente em partilhar o afecto, o dinheiro e o tempo com os outros.

Tuesday, August 1

Memória litúrgica de Santo Afonso Maria de Ligório

Santo Afonso de Ligório nasceu em Nápoles no ano 1696; obteve o doutorado em Direito Civil e Eclesiástico, recebeu a ordenação sacerdotal e fundou a Congregação do Santíssimo Redentor. Para fomentar entre o povo a vida cristã, dedicou-se à pregação e escreveu vários livros, sobretudo de teologia moral, matéria em que é considerado mestre insigne. Foi eleito bispo de Sant’Agata dei Goti, mas renunciou pouco depois ao cargo e morreu entre os seus, em Pagani, na Campânia, no ano 1787.


Reflexão
A parábola do trigo e do joio reflecte a leitura que dela fazia a primitiva comunidade cristã. Jesus explica quem é quem na parábola. A semente tem o seu processo; germina e frutifica, desde que haja respostas a Deus. A impaciência porém é uma tentação provocada pelo mundo materialista em que vivemos.

Monday, July 31

Memória litúrgica de Santo Inácio de Loiola




Reflexão
Duas breves parábolas sobre o reino de Deus que se completam uma à outra: a do grão de mostarda põe em relevo o contraste entre a pequenez dos começos desse reino e o esplendor do fim que ele há-de atingir; a do fermento, que leveda toda a massa, sublinha a força e energia do fermento e ainda o contraste entre a pequena quantidade do mesmo e a grande quantidade de massa, que ele é capaz de levedar. Assim é o reino de Deus no meio deste mundo.

Friday, July 21

Sexta-feira da Semana XV do Tempo Comum


Reflexão
A atitude de Jesus ante o sábado, mostra que uma lei positiva, pode ceder perante uma necessidade urgente. Jesus não nega a validez do sábado, senão que lhe veio dar plenitude, no domingo da ressurreição.
O domingo, em vez de ser o que por vezes parece - escravizante, - deverá passar a ser libertador. Urge, portanto, voltar a humanizar o domingo, o Dia do Senhor.

Wednesday, July 19

Quarta-feira da Semana XV do Tempo Comum

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=1589

Reflexão
Os simples compreendem melhor a Jesus. Que contraste entre os sábios e poderosos e os pobres e humildes. Deus manifestou-se na Pessoa e obras de Jesus, mas só os simples de coração é que O entendem. Unidos, fé e ciência, seriam a situação ideal para conhecer e amar a Deus. A Deus chega-se melhor de joelhos do que estendendo a mão!

Monday, July 17

Segunda-feira da Semana XV do Tempo Comum


Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=1587

Reflexão
"Não vim trazer a paz, mas a espada". Estas palavras contradizem as esperanças de todos aqueles que trabalham e lutam pela paz, bem como as próprias palavras de Jesus, que declarou bem-aventurados os que trabalham pela paz. A luta não é dos discípulos contra os outros homens, mas dos outros homens contra os discípulos, contra os missionários do Reino. Mateus continua a tratar das exigências radicais da missão. Nada pode impedir o seguimento de Jesus, ainda que possa causar sofrimentos e provocar rupturas, mesmo dentro da própria família. Mas o seguimento e o amor a Cristo devem sobrepor-se a tudo e a todos. Jesus usa uma linguagem radical, sem limites. Ser cristão tem um preço. O Evangelho é incómodo. Mas existe uma recompensa para quem acolher os enviados.

Friday, July 14

Sexta-feira da Semana XIV do Tempo Comum

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=1585

Reflexão

Jesus dá algumas instruções aos Apóstolos em ordem à sua actividade missionária, põe-os de sobreaviso em relação às perseguições futuras que virão a sofrer, como Ele as havia de sofrer também. Mas promete-lhes a sua presença junto deles até ao fim, depois de lhes fazer compreender que o testemunho que eles derem é já antecipação do último juízo de Deus. Não foi fácil a missão dos Apóstolos, como ainda hoje o não é a da Igreja. A palavra de Deus desencadeia sempre, ao lado do bom acolhimento de alguns, a indiferença, a irritação e até a perseguição de muitos. A mansidão e a não-violência do missionário não são fraqueza nem masoquismo, mas vivência de duas virtudes aparentemente opostas: a prudência da serpente, como exercício de inteligência vigilante, realista e crítica, que evita o engano; a simplicidade da pomba, como exercício de um procedimento límpido e confiante, próprio de quem sabe estar nas mãos de Deus-Pai, poderoso e bom. Nos tribunais, há que confiar na presença e na acção do Espírito. Quem suportar ser odiado, por causa de Cristo, será salvo.

Thursday, July 13

Quinta-feira da Semana XIV do Tempo Comum


Reflexão
Tudo o que Deus colocou na igreja, nos seus ministros, o em cada um de nós, em ordem à salvação dos homens é dom seu. Por vezes, chamamos-lhe poderes; mas, antes de mais, tudo é graça, tudo são dons, por isso mesmo mais eles exigem serem comunicados aos outros. Aqueles que Deus envia são portadores da Salvação de Deus o por isso acolhê-los ou rejeitá-los é acolher ou rejeitar Aquele de quem são mensageiros. Os discípulos devem anunciar a presença do Reino, tal como fizera João Baptista e Jesus. Quem acreditar que o Reino é o Senhor, e viver como Ele, torna-se sinal da sua presença e pode realizar curas, ressuscitar mortos, curar leprosos, expulsar demónios. O mais importante é estar conscientes das forças divinas que nos enchem, graças à paixão, morte e ressurreição de Cristo. O conteúdo da pregação dos discípulos está expresso nas afirmações relativas à paz. Anunciar a paz é anunciar a Cristo e tudo o que Ele significa.