Tuesday, November 13

Terça-feira da Semana XXXII do Tempo Comum

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2250

Reflexão
Os fariseus, isto é os crentes que se vangloriam dos próprios méritos, não passam de servos inúteis, aos olhos de Deus. À atitude mercantilista do próprio mérito, opõe Jesus a da amizade do serviço incondicional a Deus e aos irmãos. O autêntico discípulo de Cristo, não se serve, serve. Para Deus não conta o sentido utilitarista da eficácia dos barómetros da nossa produtividade. O nosso gozo e a nossa glória estão em sermos fiéis servidores do próprio Cristo. Humildes servidores, mas não inúteis, como fazem os santos. Fizeram aquilo que deveria realmente ter sido feito. Assim todos os cristãos dignos de tal identidade!

Monday, November 12

Memória litúrgica de São Josafat, bispo e mártir

São Josafat
Nasceu na Ucrânia, cerca do ano 1580, de pais ortodoxos. Abraçou a fé católica e entrou na Ordem de S. Basílio. Ordenado sacerdote e eleito bispo de Polock, dedicou se com grande empenho à causa da unidade da Igreja, pelo que foi perseguido pelos seus inimigos e morreu mártir em 1623.

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2249

Reflexão
O perdão fraterno é ilimitado e exigido como prova de amor. Antes de subires ao altar a fazer a tua oferta, reconcilia-te com o teu irmão. Os escândalos aos mais débeis e mais simples, recebem castigos severos. Por outro lado, Jesus atribui um valor e um poder impressionante à fé. Não é um problema de quantidade, mas de qualidade.
A súplica dos apóstolos reflecte uma situação de crise. Há crises de fé religiosa humana evidentes. Ela situa-se num contexto da experiência religiosa pessoal. A fé aprofunda-se mediante a oração, o estudo da leitura bíblica, a meditação.

Friday, November 9

Festa litúrgica da Dedicação da Basílica de Latrão

Dedicação da Basílica de Latrão
Segundo uma tradição que remonta ao século XII, celebra-se neste dia o aniversário da dedicação da basílica de Latrão, construída pelo imperador Constantino. Inicialmente foi uma festa exclusivamente da cidade de Roma; mais tarde, estendeu-se à Igreja de rito romano, com o fim de honrar a basílica que é chamada a igreja mãe de todas as igrejas da Urbe e do Orbe e como sinal de amor e unidade para com a Cátedra de Pedro que, como escreveu Santo Inácio de Antioquia, preside à assembleia universal da caridade.     


Reflexão
Dedicada no ano 320, a Basílica de Latrão é a catedral do Papa, o Bispo de Roma. Nela se celebraram ao longo de 16 séculos, 5 concílios ecuménicos e outros acontecimentos de relevo. Esta Basílica é a mãe e cabeça de todas as igrejas. Ao comemorarmos a dedicação desta Igreja, celebramos o mistério da Única Igreja de Cristo.
O Templo é o lugar do culto a Deus. Por isso Jesus continua a verberar aqueles que fazem dele um comércio. Jesus é o verdadeiro Templo onde habita a plenitude da Divindade. Os espaços sagrados são sinais de Cristo e do novo Povo de Deus, a Sua Igreja. Mas o verdadeiro culto, é em espírito e em verdade. As formas litúrgicas são apenas a expressão mais viva da fé da comunidade.

Thursday, November 8

Quinta-feira da Semana XXXI do Tempo Comum

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2246

Reflexão
O cristianismo não é simples doutrina nem simples moral, mas a aceitação, em toda a vida, da pessoa de Jesus Cristo e do desígnio de Deus que Ele nos revela. Todas as expressões, pessoais ou colectivas, da fé cristã são sempre sinal e meio de participação na vida de Deus, revelada e comunicada a nós em Cristo. Tudo o que não fosse isto, seria perda e desvantagem.
Com duas maravilhosas parábolas de misericórdia, a da ovelha e a da moeda perdidas e reencontradas, Jesus ensina fariseus e escribas, duros e intransigentes, que os pecadores não são para se desprezarem, mas para se acolherem e ajudarem a encontrar um caminho de conversão. É nota particular de São Lucas insistir na misericórdia de Deus para com os pecadores.
Nestas duas parábolas, ressalta a misericórdia de Deus que resume a História da Salvação, ao reabilitar totalmente a condição humana. A alegria no céu por aquele que se converte. Em contraposição com a atitude puritana dos fariseus e doutores da Lei.

Wednesday, November 7

Quarta-feira da Semana XXXI do Tempo Comum

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2245

Reflexão
Jesus e Paulo pregam a religião do amor, que é a perfeição da Lei. No dizer de Santa Teresa, o Senhor não se fixa na grandeza das obras, mas no amor que as inspira... Por isso o evangelho é radical: é preciso renunciar a tudo o que pode dificultar ou impedir o seguimento a Cristo. Ele tem prioridade sobre todos os outros bens.

Tuesday, November 6

Memória litúrgica de São Nuno de Santa Maria

São Nuno de Santa Maria, Religioso
Nuno Álvares Pereira nasceu a 24 de Junho de 1360. Aos treze anos tornou-se pajem da rainha D. Leonor, sendo, pouco depois, armado cavaleiro. Por vontade de seu pai, casou-se aos 16 anos. Dos três filhos do seu matrimónio, dois faleceram ainda crianças, ficando apenas uma filha, Beatriz, que veio a casar com o filho do rei D. João I, D. Afonso, primeiro duque de Bragança. Quando, a 22 de Outubro de 1383, faleceu rei D. Fernando I, não deixou filhos varões, mas apenas uma filha casada com o rei de Castela, que pretendeu apoderar-se da coroa de Portugal. Opôs-se-lhe D. João, Mestre de Avis, irmão de D. Fernando, com o apoio de D. Nuno Alvares Pereira. Este, nomeado Condestável, conduziu o exército português a várias vitórias contra os castelhanos, até à vitória final, em Aljubarrota, a 14 de Agosto de 1385. O Condestável, aos dotes militares, aliava uma espiritualidade sincera e profunda, caraterizada pelo amor à Eucaristia e à Virgem Maria. Com a morte da sua esposa, em 1387, D. Nuno recusa contrair segundas núpcias e, quando a paz é definitivamente estabelecida, distribui grande parte dos bens pelos seus companheiros, antigos combatentes, e faz-se carmelita, com o nome de frei Nuno de Santa Maria. Logo após a sua morte, no dia 1 de Abril de 1431, Frei Nuno começou a ser chamado “santo” pelo povo. Beatificado por Bento XV beatificou-o, em 1918 e Bento XVI canonizou-o, em 2009.


Reflexão
As portas do Reino abrem-se a todos os povos. Assim o deixa entender o banquete aberto a todos. Uns recusam o convite, cada qual invocando circunstâncias, quem sabe, oportunas da sua própria vida. Os dos convites especiais, esses recusam. Os da convocatória geral, porque não estão comprometidos com nada, mas totalmente disponíveis, aceitam o convite e sentam-se à mesa do banquete.

Monday, November 5

Pensamento do dia: 05-11-2018

Não basta fazer coisas boas - é preciso fazê-las bem. (Santo Agostinho)

Segunda-feira da Semana XXXI do Tempo Comum


Reflexão
A história religiosa é uma curva de fidelidade, abandonos e contradições. Cada ser humano é capaz de belos heroísmos e de degradantes mesquinhezes.
No reino de Deus não tem lugar a atitude mercantilista. A lei do reino de Deus é o amor e a gratuitidade, tal como foi o estilo de Jesus.

Tuesday, October 30

Terça-feira da Semana XXX do Tempo Comum

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2241

Reflexão
Ao falar do matrimónio cristão, São Paulo vê nele um reflexo da união de Cristo e da Igreja. Quase se poderia dizer que a união de Cristo e da Igreja é o tipo do matrimónio cristão. Este é, por isso, um mistério, quer dizer que ele, para além de ser acontecimento humano, encerra uma significação divina. Ele é, por isso, um sacramento. Foi a propósito da vida familiar dos cristãos que o Apóstolo expôs esta doutrina.
Duas breves parábolas, a do grão de mostarda e a do fermento, sublinham a força interna e o poder de transformação que animam o reino de Deus. Esta vitalidade íntima do reino nunca diminuirá, mesmo que a experiência nem sempre seja igual à que São Lucas possuía. O reino de Deus só será realidade perfeita no fim dos tempos, que hão-de dar o verdadeiro sentido a toda a história; mas ele já está no meio de nós, embora em humildade cheio de vida, como o grão de semente em comparação com a árvore que ele há-de vir a ser um dia.

Monday, October 29

Segunda-feira da Semana XXX do Tempo Comum


Reflexão
Lucas é o único a relatar o milagre da mulher curvada. Jesus realiza-o em dia de sábado, na sinagoga e num contexto polémico. Mais do que o milagre em si, o que ressalta à vista, é que foi realizado no sábado, provocando a indignação insensata do chefe da sinagoga. Jesus actua assim, não por desprezo da lei sabática, mas para realizar a libertação daquela mulher! A resposta de Jesus ao chefe da sinagoga, é uma clara repreensão aos chefes religiosos do povo judeu e não só! O sábado fez-se para o homem e não o homem para o sábado. É preciso libertar o homem hodierno de todas as escravidões!

Friday, October 26

Sexta-feira da Semana XXIX do Tempo Comum


Reflexão
O ritmo do tempo presente parece não dar sossego. É agitado. Rapidamente, tudo acontece, tudo se transforma. Até o clima, já não é o que era! Hoje, assistimos a um ritmo acelerado de mudança em todas as áreas: maneira de viver, ideologias, valores, política, tradições religiosas... Este tempo em que vivemos é um desafio a reflectir nas interpelações colocadas por Jesus Cristo, ontem e hoje. Temos a responsabilidade de saber discernir os sinais dos tempos para os iluminar com a luz do Evangelho.

Thursday, October 25

Quinta-feira da Semana XXIX do Tempo Comum


Reflexão
A paz tem um preço. O fogo é uma figura habitual na Bíblia, para exprimir o juízo de Deus que purifica o homem, como o ouro no crisol. Fogo que está já a actuar na comunidade dos crentes. O próprio Jesus é o primeiro a passar tal prova, pelo baptismo no Seu sangue. Esta situação conflituosa da luta entre o Bem e o Mal atinge o coração da família e de cada crente. Por isso, o seguimento do reino está por cima de todo o apego familiar ou material. Seguir Jesus como discípulo tem um preço que pode ser mesmo a própria vida. Tal experiência já foi vivida pelos primeiros cristãos. Resta-nos seguir o seu exemplo de adesão incondicional a Cristo.
O seguimento do reino está por cima de todo o apego familiar ou material. Seguir Jesus como discípulo tem um preço que pode ser mesmo a própria vida. São as pequenas opções por Cristo, que nos levam à entrega total e sem condições.

Wednesday, October 24

Quarta-feira da Semana XXIX do Tempo Comum

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2236

Reflexão
Acreditar no Deus revelado em Jesus Cristo é deixar-se envolver pela misericórdia em plenitude. Qualquer que seja a afirmação evangélica, nunca poderemos esquecer esta novidade revelada através do próprio Jesus Cristo: Deus é um Pai amoroso e cheio de compaixão. O texto deste dia remete-nos para uma preocupação das primeiras comunidades: pensavam que o fim definitivo dos tempos estava próximo. Por isso, o evangelista coloca na boca de Jesus um conjunto de afirmações que alertam para a necessidade de estar vigilante. Estas palavras são um convite à responsabilidade. Cada pessoa tem de estar sempre preparada, sempre vigilante. Não pelo medo do fim, mas porque cada momento histórico não pode ser desperdiçado. Às vezes, podemos cair na tentação que os alertas de Jesus Cristo não são para nós, mas para os que andam mais afastados. E perguntamos como Pedro: É para nós que dizes esta parábola?

Tuesday, October 23

Terça-feira da Semana XXIX do Tempo Comum


Reflexão
Os criados, convertidos em senhores, como prémio da sua vigilância activa, é uma forma bíblica de apresentar a recompensa dos pobres de Israel. A cena dá lugar a uma referência eucarística, na Ceia pascal.
A vigilância é atitude própria do amor que vela sobretudo na noite. Esta, sem contraposição ao dia, é tempo privilegiado de liberdade; em contraposição ao dia, é símbolo do mal.
A caminhada do crente é feita entre luzes e trevas. O que é preciso, é estar vigilante!

Monday, October 22

Pensamento do dia: 22-10-2018

Aquele que desperdiça o dia de hoje, lamentando o de ontem, desperdiçará o de amanhã, lamentando o de hoje. (P. Raskin)

Wednesday, October 17

Memória litúrgica de Santo Inácio de Antioquia

Santo Inácio de Antioquia
Inácio foi o sucessor de Pedro no governo da Igreja de Antioquia. Condenado às feras, foi conduzido a Roma e aí, no tempo do imperador Trajano, recebeu a gloriosa coroa do martírio, no ano 107. Durante a viagem escreveu sete cartas a várias Igrejas, nas quais se refere, com profunda sabedoria e erudição, a Cristo, à organização da Igreja e aos princípios fundamentais da vida cristã. A sua memória era celebrada neste dia, já no século IV, em Antioquia.

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2230

Reflexão
Jesus interpela os fariseus porque se preocupam com minúcias e desprezam o principal. São escravos da vaidade e do orgulho, sepulcros caiados, repletos de hipocrisia e corrupção e, em vez de guias, converteram-se em ditadores da opressão. Jesus respeita a observância da Lei, mas diz que a primazia pertence à justiça e ao amor. Exemplo para os cristãos que devem libertar-se dos esquemas legalistas e procurar um clima filial de liberdade em Cristo. Para o cristão, a Lei é Cristo que se define por um total amor aos homens a quem fez irmãos.

Tuesday, October 16

Memória litúrgica de Santa Margarida Maria Alacoque

Santa Margarida Maria Alacoque, Virgem
Nasceu em Autún, França, no ano de 1647. Entrou no mosteiro da Visitação, em Paray-le-Monial, quando tinha 27 anos de idade. Na capela desse mosteiro teve revelações do Sagrado Coração de Jesus, recebendo a missão de divulgar a devoção ao mesmo Sagrado Coração, com o apoio e a ajuda de São Cláudio de La Colombière. Faleceu em 1690, sendo canonizada por Bento XV, em 1920. Santa Margarida Maria é um dos padroeiros da Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus, Dehonianos.


Reflexão
Jesus não suporta a hipocrisia. Por isso, não se submete à prática pseudo-religiosa das abluções rituais, ditadas pelas tradições rabínicas. Jesus acusa-os de hipócritas, avarentos e intemperantes, fazendo-lhes ver a necessidade da conversão interior. Os ritos têm a sua importância, mas não podem ser absolutizados, de forma alguma. São meios, instrumentos de espiritualidade, mas nunca fins em si mesmos. Importa que o interior esteja limpo de rapina e maldade, para justificar o exterior das abluções. As atitudes pessoais do crente, são o fundamento da comunhão do homem com Deus. A nova lei do crente é o mesmo Jesus em Pessoa. Ele é nova e única mediação libertadora.

Friday, October 12

Pensamento do dia: 12-10-2018

É uma lei da vida humana, tão certa como a da gravidade: para vivermos plenamente, precisamos aprender a usar as coisas e a amar as pessoas... Nunca amar as coisas nem usar as pessoas!

Sexta-feira da Semana XXVII do Tempo Comum


Reflexão
Todo o sinal é ambivalente. Depende de quem o interprete. Foi o que sucedeu com a cura do possesso: Uns admiraram o poder libertador de Jesus e a bondade de Deus manifesta n’Ele; outros fizeram-No cúmplice do próprio demónio. Só a fé ajuda a compreender os sinais (milagres) como provenientes de Deus. Todo sinal de Deus, como palavra eficaz do mesmo Deus, apela a uma opção a favor ou contra. A sorte do povo de Israel é semelhante à do possesso curado. O povo eleito, hoje, é a Igreja e é nela que optamos ou não, pelo Senhor.

Thursday, October 11

Quinta-feira da Semana XXVII do Tempo Comum

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2225

Reflexão
As comparações de Jesus ilustram bem a Sua ideia quanto à necessidade, à perseverança e à eficácia da oração. Esta estará hoje numa situação de crise, tanto a nível individual como familiar e comunitária.
Que atitudes tomar? O desprezo, o descuido e o abandono são atitudes negativas; o amor, a estima e prática fiel e eficaz são atitudes positivas. É fundamental rezar, à medida e semelhança de Cristo. Oração pessoal e comunitária, na intimidade ou em grupo, no trabalho ou no recolhimento. Homem sem oração é um animal sem razão, diz São Filipe de Néri.