Monday, June 18

Pensamento do dia: 18-06-2018

A amizade contraída na juventude é geralmente duradoira e faz o encanto de toda a vida. (M. Danielou)

Segunda-feira da Semana XI do Tempo Comum


Reflexão
Jesus substituiu a lei da vingança pela lei do perdão e do amor. Incondicionalmente. Certamente que é difícil, mas é o caminho de libertação e de felicidade. Não se trata de resignação fatalista, mas de não violência activa do amor.
Perdoar e amar como Cristo manda, só é possível quando se vive em comunhão pascal com Cristo.

Friday, June 15

Sexta-feira da Semana X do Tempo Comum


Reflexão
O Profeta é convidado por Deus a subir ao monte e a esperar aí que o Senhor Se lhe manifeste. Os vários fenómenos naturais são aqui prenúncios da passagem de Deus. É no último desses sinais, na brisa suave, que Deus Se lhe manifesta. A suavidade dessa brisa é sinal da intimidade em que Deus Se revela aos seus profetas, da doçura da sua acção que aliás se vai manifestar bem vigorosa. É assim que, a partir deste encontro com o Senhor, o profeta é enviado, pelo mesmo caminho não temendo já a perseguição a que vinha fugindo, mas para realizar novas acções de grande projecção.
A perfeição cristã não se avalia simplesmente pelo cumprimento exterior das leis, mas pelos sentimentos íntimos do coração; é aí que reside a origem de tudo o que é bom e de tudo o que é mau. Jesus exemplifica estes princípios com o caso do adultério, e, ao mesmo tempo, afirma a indissolubilidade do matrimónio.

Thursday, June 14

Pensamento do dia: 14-06-2018

A carícia é o produto de um longo polimento da bestialidade. (Pierre Reverdy)

Quinta-feira da Semana X do Tempo Comum

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2101

Reflexão
À dureza de coração e ao orgulho do rei dominado pelo espírito de uma rainha pagã, adoradora de falsos deuses, responde a fé e a confiança de Elias no Senhor, o Deus único. Depois dos longos anos de seca, à oração do profeta volta a chuva tão desejada. No Novo Testamento, São Tiago toma a oração insistente de Elias como modelo da oração dos cristãos.
A lei nova do Evangelho é superior à antiga Lei, como ponto de chegada que é do caminho anteriormente percorrido. A lei antiga denunciava a transgressão e levava ao castigo; a lei do Evangelho tem por base o amor, como foi o amor que levou o Filho de Deus a fazer-Se homem e a revelar aos homens que o próprio Deus é amor. Por isso, o discípulo de Cristo há-de aprender a amar como Cristo amou, que é afinal como Deus nos ama.

Wednesday, June 13

Festa litúrgica de Santo António

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=441

Santo António
Santo António nasce em Lisboa, em 1193, de família nobre, e é baptizado com o nome de Fernando. Passa pelo trajecto duma vida monástica à vida medicante, como franciscano. Uma viagem atribulada a Pádua, onde desenvolve um fecundo apostolado pela palavra anunciada e escrita. Foi um atento observador dos males sociais do seu tempo, com dotes de taumaturgo, ao serviço dos pobres do Reino de Deus. Com a sua morte em 13/06/1231 começou a sua glória através dos séculos.

Tuesday, June 12

Pensamento do dia: 12-06-2018

A dúvida é o princípio da sabedoria. (Aristóteles)

Terça-feira da Semana X do Tempo Comum


Reflexão
Sal, luz, cidade visível no cimo do monte, fazem parte do bilhete de identidade do cristão; imagens que convergem numa só direcção: o testemunho pessoal da vida do crente ao serviço dos irmãos; termos que exigem que a missão do cristão na sociedade em que vive, seja lenta, mas segura e eficaz, a exemplo de Jesus, prova máxima do cumprimento das promessas do Pai. Disso dá-nos a certeza o Espírito, que nos inspira no mais profundo da consciência. Também o cristão, o crente, será o revelador do verdadeiro rosto misericordioso de Deus Pai.

Monday, June 11

Memória litúrgica de São Barnabé, Apóstolo


São Barnabé era natural da ilha de Chipre e foi um dos primeiros fiéis de Jerusalém. Pregou o Evangelho em Antioquia e acompanhou São Paulo na sua primeira viagem apostólica. Interveio no Concílio de Jerusalém. Voltou à sua pátria, onde pregou o Evangelho; e aí morreu.

Friday, June 8

Solenidade do Sagrado Coração de Jesus


Reflexão
O culto à humanidade de Cristo e ao Seu Coração, que sempre existiu na Igreja, conheceu um grande incremento a partir das revelações privadas a Santa Margarida Maria Alacoque (1673-75), as quais despertaram entre os cristãos uma consciência mais viva do mistério do amor de Cristo.
A devoção ao Sagrado Coração de Jesus foi reconhecida pela Igreja cerca de um século mais tarde: em 1765, Clemente XIII aprovou a Solenidade do Sagrado Coração e, em 1856, Pio IX inseriu-a no calendário da Igreja universal.
A devoção ao Coração de Jesus foi um meio providencial para a renovação da vida cristã. Com efeito, certas doutrinas tinham desfigurado uma das verdades essenciais ao cristianismo - o amor de Deus para com todos os homens. Pela devoção ao Sagrado Coração, o Povo de Deus reagiu contra uma concepção demasiado rigorista das relações entre Deus e o homem - concepção que, levada às últimas consequências, seria o renascer da ideia pagã de um Deus vingador e, portanto, a anulação da história da salvação e da incessante misericórdia divina (Thierry Maertens).
Levando-nos a amar a Cristo e a compartilhar do Seu amor pelo Pai e pelos homens, a devoção ao Coração de Jesus leva-nos também a promover aquela solidariedade universal que é uma exigência da fraternidade. O mistério do Coração de Cristo torna-se, assim, o caminho para a plena libertação do homem, libertação tantas vezes procurada através de caminhos que só conduzem à degradação da mesma dignidade humana.

Thursday, June 7

Pensamento do dia: 07-06-2018

A carícia é o produto de um longo polimento da bestialidade. (Pierre Reverdy)

Quinta-feira da Semana IX do Tempo Comum


Reflexão
Os mandamentos são um só: o amor a Deus e aos irmãos são inseparáveis. A medida do amor é como a de Cristo: até ao fim. A religião do amor aberta a Deus, ao homem, ao mundo, à vida! Amar é criar vida à nossa volta... Esta é a tarefa do ser cristão.

Wednesday, June 6

Quarta-feira da Semana IX do Tempo Comum

No Além, o matrimónio não tem sentido. Jesus é testemunha da ressurreição dos mortos. Toda a Bíblia é um testemunho do Deus da vida. A imortalidade é a máxima aspiração do ser humano. Deus ama a vida, por isso no-lo conserva.

Tuesday, June 5

Terça-feira da Semana IX do Tempo Comum


Reflexão
A ocupação romana obrigava os judeus a pagar um tributo a César. Os saduceus e herodianos eram partidários do imposto; os fariseus consideravam-no ilícito; os zelotes opunham-se, mesmo pelas armas. Jesus lança-lhes em cara a sua hipocrisia e sentencia de forma soberana.
Para os laicistas doentios, Deus e César excluem-se, sendo a fé e a religião assunto privado sem tecto social; para os teístas fanáticos, a autoridade civil deve estar ao serviço do Evangelho, mesmo pela força; para Jesus o César não se opõe a Deus, pois reconhece a autonomia do terreno. Para Jesus, Estado e Igreja não estão sujeitos um ao outro, mas ambos a Deus.

Monday, June 4

Pensamento do dia: 04-06-2018

A esperança é um bom almoço mas um mau jantar. (Francis Bacon)

Segunda-feira da Semana IX do Tempo Comum


Reflexão
Esta é a história do Povo de Israel. Matou os profetas enviados por Deus e, finalmente, o seu próprio Filho. Cada pessoa é uma vinha, objecto dos desvelos amorosos de Deus. Matamos a Deus quando o sujeitamos aos nossos caprichos, e damos mau exemplo, com comportamentos inaceitáveis e inadmissíveis a herdeiros do Pai do Céu!

Friday, June 1

Memória litúrgica de São Justino, Mártir


São Justino
Justino, filósofo e mártir, nasceu no princípio do século II, em Flavia Neapoli (Nablus), na Samaria, de família pagã. Tendo-se convertido à fé, escreveu diversas obras em defesa da religião; mas apenas se conservam as duas Apologias e o Diálogo com Trifão. Abriu uma escola em Roma, onde tinha públicas disputas. Sofreu o martírio, juntamente com seus companheiros, no tempo de Marco Aurélio, cerca do ano 163.

Tuesday, May 29

Terça-feira da Semana VIII do Tempo Comum


Reflexão
Jesus esclarece a Pedro e a todos os que o seguirem, que a recompensa já aqui na terra, será de cem vezes mais. Certamente não na quantidade, mas sobretudo na qualidade. Deixando tudo, o discípulo encontrará na Comunidade do Reino, maior felicidade que toda a que deixou!... Felicidade que não exclui a cruz, por que esta é consubstancial ao seguimento de Cristo e garantia duma felicidade eterna incomparável. O desprendimento e o espírito de pobreza, livremente abraçados, são já uma antecipação da libertação futura.

Monday, May 28

Pensamento do dia: 28-05-2018

A amizade não se busca, não se sonha, não se deseja; ela exerce-se. (Simone Weil)

Segunda-feira da Semana VIII do Tempo Comum



Reflexão
Os olhares penetrantes de Cristo são apelos sem retorno. Marcos recorda-nos dois desses olhares de Cristo: Um olhar carinhoso ao jovem rico; um olhar de alento e de compreensão para os discípulos. Jesus exige a superação do nível mínimo da Lei, para entrar na categoria de discípulo. Cristo exige, mas apelando sempre à livre decisão pessoal, feita na responsabilidade.
O jovem do Evangelho era rico. Daí a sua opção frustrante. O apelo não é dirigido apenas aos ricos, mas a todos quantos queiram ser discípulo. Todos temos apetência de ricos, caindo na ambição e na avareza.