Tuesday, September 25

Terça-feira da Semana XXV do Tempo Comum

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2211

Reflexão
 O Evangelho de hoje vem na sequência das parábolas do semeador e da lâmpada que definem o discípulo de Cristo, como terra fértil e luz do mundo. Às atitudes de escuta e de resposta à Palavra se remete Jesus, para designar a sua verdadeira família, segundo o Espírito do Reino de Deus. Com efeito, pertencem à sua família, quantos como Ele próprio e a sua Mãe, se entregam sem reservas à vontade de Deus. Maria foi a primeira e a melhor discípula, a primeira crente e modelo da Igreja. A reflexão de Jesus não é, certamente, um desprezo por Sua Mãe, antes inclui um louvor implícito dela. Como ela, podemos ser discípulos atentos e cumpridores da sua palavra. Que sejamos vistos como discípulos atentos e cumpridores da Palavra.

Monday, September 24

Segunda-feira da Semana XXV do Tempo Comum


Reflexão
Cristo é a luz destinada a iluminar os ínvios caminhos do mundo. Entretanto a sua Pessoa e mensagem passam por uma etapa de penumbra, até à manifestação plena. Também o seu discípulo deverá estar consciente de que ele também é luz. Mistério que não é privilégio de minoria de superdotados, pois está ao alcance de todos. Os membros do novo Povo de Deus. Os seus discípulos na fé e nas obras, herdaram de Cristo a sublime missão de ser luz para o mundo!

Friday, September 21

Pensamento do dia: 21-09-2018

O êxito da vida não se mede pelo caminho que conseguistes percorrer, mas sim pelas dificuldades que fostes capaz de ultrapassar. (Abraham Lincoln)

Festa litúrgica de São Mateus, Apóstolo

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=606

São Mateus
Nasceu em Cafarnaum, e exercia a profissão de cobrador de impostos quando Jesus o chamou. Escreveu o Evangelho em língua hebraica e, segundo uma tradição, pregou no Oriente.   

Reflexão
O cobrador de impostos ao povo judeu para pagar aos romanos, era uma profissão mal conceituada e também para esses veio o Reino de Deus. Jesus chama radical: Segue-me. A misericórdia de Jesus manifesta-se a todos, mesmo aos desprezados, como Mateus. A gratidão é indispensável perante os gestos do amor de Deus, por isso Mateus recebe-o em sua casa.
São Paulo chama a atenção para os perigos de divisão, mesmo entre os cristãos, agravado pelos falsos carismas e erros doutrinais. Esclarece que, na diversidade de membros e funções existe unidade orgânica na Igreja, santificada pela vida, à medida de Cristo.

Thursday, September 20

Memória litúrgica de Santo André, São Paulo e Companheiros, mártires


 
Mártires da Coreia
No início do século XVII, por iniciativa de alguns leigos, entrou pela primeira vez a fé cristã na Coreia. Assim se formou uma comunidade forte e fervorosa, sem pastores, quase só conduzida por leigos, até ao ano 1836, durante o qual chegaram os primeiros missionários, vindos de França, que entraram furtivamente na região. Nas perseguições dos anos 1839, 1846 e 1866, surgiram desta comunidade 103 santos mártires, entre os quais se distinguem o primeiro presbítero e ardente pastor de almas André Kim Taegon e o insigne apóstolo leigo Paulo Chong Hasang. Os outros são quase todos leigos, homens e mulheres, casados ou não, anciãos, jovens e crianças, que, suportando o martírio, consagraram com o seu glorioso sangue os florescentes primórdios da Igreja coreana.

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2208

Reflexão
O Evangelho pode resumir-se, todo ele, no mistério pascal de Jesus Cristo. Ele morreu pelos nossos pecados e ressuscitou para nossa justificação. São Paulo sente necessidade de o recordar, de vez em quando, aos cristãos como fundamento que é da sua fé. E, para que o seu testemunho seja mais vivo, refere várias aparições do Senhor ressuscitado, ao tempo de data bem recentes, pois que ainda vivem algumas testemunhas oculares.
Todo este episódio, cujos pormenores se compreendem facilmente no ambiente das sociedades orientais, mostra como São Lucas tanto gosta de pôr em realce a misericórdia de Jesus. Com uma breve parábola, Jesus mostra a Simão que os seus pensamentos não iam bem orientados; de facto, não se tratava de Se deixar tocar por uma pecadora, mas de acolher uma penitente e de lhe dar o perdão. (Esta penitente não deve ser confundida com Maria, irmã de Marta, nem provavelmente com Maria de Magdala, a Madalena).

Wednesday, September 19

Pensamento do dia: 19-09-2018

A caridade é a alma da fé. Se perdida, a fé morre. (Santo António)

Quarta-feira da Semana XXIV do Tempo Comum

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2207

Reflexão
Depois de ter falado em vários dons que enriquecem a comunidade da Igreja, o Apóstolo terminava ontem apontando para os dons espirituais mais elevados, palavra que se repete no início desta leitura de hoje. Esses dons mais elevados atingem a sua plenitude na caridade. Ela está acima de tudo, ela é desta vida e entra, como rainha, na vida eterna. Esta leitura é, na realidade, um hino à caridade.
Com uma pequena parábola, Jesus censura a contradição dos que O não escutam, porque se julgam sempre com razões para se furtarem a escutar a palavra de Deus. As razões mais fúteis são sempre suficientes para pessoas fúteis, e acabam por denotar infantilidade de espírito.

Tuesday, September 18

Pensamento do dia: 18-09-2018

Todos nós sabemos algo, mas sempre ignoramos o essencial. (Sócrates)

Terça-feira da Semana XXIV do Tempo Comum


Reflexão
Jesus compadece-se da viúva de Naim e ressuscita-lhe o filho único. À ordem de Jesus, o rapaz levanta-se e começa a falar. Sinal messiânico do Reino de Deus. Jesus é grande Amigo da Vida em contraste com as tendências modernas da exploração e violência, da morte e terrorismo, da injustiça e da guerra. Compete aos cristãos proclamar incessantemente o carácter sagrado da vida humana e a fraternidade universal.

Monday, September 17

Segunda-feira da Semana XXIV do Tempo Comum


Reflexão
Outro problema a que era necessário dar resposta na comunidade cristã de Corinto era o das assembleias litúrgicas e concretamente a da celebração da Eucaristia. No meio da resposta, que ocupa toda esta leitura, encontra-se a mais antiga descrição da celebração eucarística, pois que ela data de cerca do ano 55. Aqui se pode ver o ambiente da reunião, nem em tudo ideal; o esquema da celebração, nesta altura ainda ligado à refeição; os elementos centrais da mesma (Jesus tomou o pão e o cálice, deu graças, partiu o pão e deu-os aos discípulos); o sentido do rito (em memória do Senhor); e o mandato de o repetirem. Todos estes elementos continuam a encontrar-se hoje na celebração da Eucaristia.
Começamos hoje a ler a parte do Evangelho de São Lucas consagrada aos milagres de Jesus. E começamos por um caso que oferece a Jesus ocasião de elogiar a fé de um pagão. Este é imagem daquele mundo que, depois de ter vivido longe de Deus, fica feliz quando O pôde encontrar. Assim se manifesta que o Evangelho é dom de Deus oferecido a todo o mundo.

Wednesday, September 12

Pensamento do dia: 13-09-2018

A felicidade consiste em fazer o bem. (Aristóteles: 384-322, filósofo grego)

Quarta-feira da Semana XXIII do Tempo Comum

Reflexão
O matrimónio é um estado perfeitamente lícito e normal. Mas a virgindade, consagrada a Deus, pode ajudar a uma vida de união a Deus mais perfeita e é, por isso, em si mesma, estado de perfeição maior. Tudo neste mundo é passageiro, como uma sombra; por isso, esta vida deve viver-se com os olhos postos para além dela, onde se encontra a realidade perfeita.
O homem é feliz, quando olha para este mundo com os olhos de Deus; e infeliz, quando o aprecia com o coração egoísta e orgulhoso. É no coração, antes de mais, que o homem é rico ou pobre. Como for o seu coração diante dos bens deste mundo, assim ele será feliz ou infeliz, de Deus ou contra Deus. É preciso, pois, saber amar e saber renunciar, para dar a cada coisa o seu justo valor. São Lucas resume as bem-aventuranças em quatro, quando em São Mateus elas são oito; mas, em contrapartida, apresenta logo também quatro maldições, em oposição às bem-aventuranças, coisa que São Mateus não faz.

Tuesday, September 11

Pensamento do dia: 11-09-2018

A medida do amor é não ter medida. (Santo Agostinho)

Terça-feira da Semana XXIII do Tempo Comum

Reflexão
Depois de um caso escandaloso de imoralidade, agora outro de desavença entre cristãos. Vê-se, por um lado, que as primitivas comunidades cristãs não estavam isentas de exemplos pouco edificantes; mas, por outro lado, observa-se que isso era então considerado indigno de uma comunidade de cristãos. Pode assim ver-se como se tinha então consciência de que a comunidade dos cristãos tinha alguma coisa de muito próprio, diferente de qualquer outro grupo humano ao lado do qual vivesse.
Jesus começa a dar um mínimo de organização à sua Igreja, escolhendo os doze Apóstolos de entre os seus discípulos, para os enviar a prolongar a sua missão. Apóstolo quer dizer enviado. Mas, Jesus acompanha a acção com a oração. Antes da eleição dos Apóstolos, Jesus faz uma longa vigília de oração. O apostolado na Igreja não é organização administrativa nem acção burocrática; é acção do Espírito de Deus, que só à luz da fé pode ser entendida.

Sunday, September 9

Pensamento do dia: 09-09-2018

Escuta e serás sábio. O começo da sabedoria é o silêncio. (Pitágoras)

Domingo XXIII do Tempo Comum

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2137

Reflexão
Marcos quer mostrar o interesse de Jesus para com os pagãos, dispostos a abraçar a fé, para fazer deles membros da família de Deus. A cura do surdo-mudo faz-nos pensar que para anunciar o Evangelho é preciso, como ele, abrir bem os ouvidos e escutar Jesus. A Palavra de Jesus vai-lhe abrindo aos poucos os ouvidos e soltando-lhe a língua para que testemunhe que Jesus é verdadeiramente o Filho de Deus. Depois de curado, o surdo-mudo anuncia à multidão o que Jesus significa para ele. Recordemos que a palavra “effathá” (abre-te) foi pronunciada sobre nós no baptismo, para nos abrir à escuta da Palavra de Deus: O Senhor Jesus, que fez ouvir os surdos e falar os mudos, te dê a graça de, em breve, poderes ouvir a sua palavra e professar a fé, para louvor e glória de Deus Pai. Cá está um desafio para deixarmos que o Senhor nos abra os ouvidos para ouvirmos a sua Palavra e nos solte a língua para anunciarmos a salvação que Ele nos oferece.

Friday, September 7

Sexta-feira da Semana XXII do Tempo Comum


Reflexão
Diante dos juízos que os Coríntios fazem dos pregadores do Evangelho, juízos que nem a Paulo poupavam, este apela para o juízo de Deus, que o Dia do Senhor, o Dia do juízo, há-de trazer. Só então é que tudo, até as intenções mais profundas dos corações dos homens, poderá ser julgado com a justiça mais exacta e mais livre. 
Jesus tenta fazer compreender aos fariseus e escribas, pessoas que passavam por ser das mais religiosas do Antigo Testamento, o espírito novo que Ele lhes vinha comunicar. Jesus é o noivo presente no meio dos seus, estes não podem tomar atitudes menos festivas; um dia, quando Ele lhes for tirado, na hora da paixão, então eles jejuarão, como a Igreja depois começou a fazer, e ainda faz, no jejum pascal, na Sexta-feita Santa e no Sábado Santo.

Thursday, September 6

Pensamento do dia: 06-09-2018

É melhor lutar por alguma coisa, do que viver para nada. (Winston Churchill)

Quinta-feira da Semana XXII do Tempo Comum

Reflexão
As divisões que existiam entre os Coríntios eram devidas a uma perspectiva errada que eles tinham acerca dos pregadores do Evangelho. Uns diziam que eram de Paulo, outros de Pedro. E não é assim que as coisas devem ser encaradas. Eles não são de nenhum dos pregadores; os pregadores é que são para eles. Tudo está ao serviço deles. Deus tudo fez para nós, para que todos estejamos agora ao serviço de Cristo e do seu reino, como Cristo está ao serviço de Deus.
Jesus continua nas margens do lago junto dos pescadores. Através da experiência da sua vida de trabalho, Jesus leva-os a compreender, particularmente a Simão Pedro, que o seu futuro será outro. A cena da pesca miraculosa tem uma significação mais larga do que a simples abundância do peixe que foi apanhado na rede: Pedro, a barca, a rede, a pesca, o acto de fé de Pedro e dos colegas, o chamamento e a resposta dos futuros Apóstolos, traduzem o mistério da Igreja e o dos Apóstolos no meio da Igreja: doravante eles serão pescadores de homens. E eles compreenderam a lição: deixaram as redes e seguiram Jesus.

Wednesday, September 5

Quarta-feira da Semana XXII do Tempo Comum

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2195

Reflexão
Os cristãos de Corinto só lentamente foram compreendendo o papel dos pregadores do Evangelho. Com muita frequência se deixaram levar por sentimentos demasiado humanos e chegaram a criar atritos e a alimentar invejas e ciúmes em relação a esses pregadores. Mas estes não são mais do que instrumentos de Deus que, em conjunto, colaboram na mesma obra comum, a de semearem a palavra de Deus no campo, que é a comunidade dos homens, e a de construírem o edifício, que é a Igreja de Cristo.
Rejeitado em Nazaré, Jesus desce a Cafarnaum onde é acolhido pela fé daquela gente, a ponto de Cafarnaum vir a ser chamada a sua cidade. Este dia de Cafarnaum foi para Jesus um dia cheio: saindo da sinagoga, Jesus entra em casa de Simão e cura a sogra dele que estava doente. Depois, ao pôr-do-sol, é uma multidão de doentes que é curada pela imposição das suas mãos. Assim cativada pelos seus favores, a multidão não O quer deixar partir; mas o Enviado de Deus tem de ir também às outras cidades.