Wednesday, September 20

Pensamento do dia: 20-09-2017

A alegria de fazer o bem é a única felicidade verdadeira. (Lev Tolstoi)

Memória litúrgica dos Santos André Kim Taegon, presbítero, Paulo Chang Hasang, e Companheiros, mártires


Santos André Kim Taegon, presbítero, Paulo Chang Hasang, e Companheiros, mártires
No início do século XVII, por iniciativa de alguns leigos, entrou pela primeira vez a fé cristã na Coreia. Assim se formou uma comunidade forte e fervorosa, sem pastores, quase só conduzida por leigos, até ao ano 1836, durante o qual chegaram os primeiros missionários, vindos de França, que entraram furtivamente na região. Nas perseguições dos anos 1839, 1846 e 1866, surgiram desta comunidade 103 santos mártires, entre os quais se distinguem o primeiro presbítero e ardente pastor de almas André Kim Taegon e o insigne apóstolo leigo Paulo Chong Hasang. Os outros são quase todos leigos, homens e mulheres, casados ou não, anciãos, jovens e crianças, que, suportando o martírio, consagraram com o seu glorioso sangue os florescentes primórdios da Igreja coreana.

Tuesday, September 19

Terça-feira da Semana XXIV do Tempo Comum



Reflexão
Jesus ressuscita um morto, como, no Antigo Testamento, o tinham feito Elias e Eliseu. Assim, Jesus Se manifesta grande profeta, como a multidão acaba por reconhecer. Na sua pessoa, Deus está presente no meio do seu povo, numa visita de salvação e, nesta ressurreição, Jesus adianta um sinal da sua futura ressurreição.

Monday, September 18

Segunda-feira da Semana XXIV do Tempo Comum



Reflexão
Neste relato de Lucas encontramos um cenário maravilhoso: o centurião e o seu servo, doente; a fé do suplicante e a palavra eficaz de Cristo; o centurião admira a Pessoa e o poder de Jesus e Jesus admira a fé do centurião; a cura do servo, ante a maravilhosa síntese da fé, humildade e confiança do centurião. Todos os dias em que comungamos, repetimos a frase do centurião: não sou digno!…

Friday, September 15

Memória litúrgica de Nossa Senhora das Dores


Reflexão
Depois de celebrarmos a Exaltação da Santa Cruz o nosso olhar volta-se para aquela que estava junto à cruz de Jesus, sua mãe. A palavra que nos acompanha é da carta aos Hebreus e recorda que, Cristo não levou uma vida de facilidades como era de esperar de um filho de Deus. Viu-se na aflição e na dor e experimentou a angústia e as lágrimas. No meio do sofrimento suplicou àquele que o podia livrar da morte e foi atendido, mas antes passou pelo sofrimento. A obediência alcançou a salvação.

Thursday, September 14

Pensamento do dia: 14-09-2017

A caridade começa em casa e a justiça na porta ao lado. (Charles Dickens)

Festa litúrgica da Exaltação da Santa Cruz



Reflexão
No deserto, a serpente de bronze foi sinal de salvação para o povo. No calvário, a cruz é sinal do amor redentor de Deus.
A cruz não é sinal de morte, mas de vida, o instrumento da nossa total libertação. A cruz entranha o paradoxo da morte e da vida. Como sinal da morte, ela proclama a nossa glorificação suprema.
Só pela fé poderemos entender o mistério da cruz, que é o mistério do Amor que assume a condição humana para salvar todo o homem e o homem todo.

Wednesday, September 13

Pensamento do dia: 13-09-2017

A alegria abre, a tristeza fecha o coração. (São Francisco de Sales)

Quarta-feira da Semana XXIII do Tempo Comum



Reflexão
O homem é feliz, quando olha para este mundo com os olhos de Deus; e infeliz, quando o aprecia com o coração egoísta e orgulhoso. É no coração que o homem é rico ou pobre. Como for o seu coração diante dos bens deste mundo, assim ele será feliz ou infeliz, de Deus ou contra Deus. É preciso saber amar e saber renunciar, para dar a cada coisa o seu justo valor. São Lucas resume as bem-aventuranças em quatro e apresenta também quatro maldições.
O verdadeiro discípulo de Jesus é pobre, manso, misericordioso, fazedor de paz, puro de coração e possui a bem-aventurança de quem acolhe a palavra de Deus na pregação de Jesus e procura adequar a vida a essa palavra.

Tuesday, September 12

Terça-feira da Semana XXIII do Tempo Comum


Reflexão
A escolha dos doze Apóstolos como alicerce da sua Igreja, tem relação íntima com as doze tribos do povo de Deus, Israel.
Curioso o facto desta decisão importante ser tomada após uma noite de oração. Depois desce à planície e continua o seu ministério apostólico.
O título de apóstolo, que não foi exclusivo dos doze, é hoje atribuído a todo o cristão, na medida em que serve a missão evangelizadora da Igreja dos nossos dias.

Friday, September 1

Pensamento do dia: 01-09-2017

A alegria de fazer o bem é a única felicidade verdadeira. (Lev Tolstoi)

Sexta-feira da Semana XXI do Tempo Comum


Reflexão
O tempo da Igreja é um tempo de graça… Urge uma vigilância activa ao cumprir a missão recebida. A vigilância não é evasão. Se Deus pede contas, a melhor resposta há-de ser uma vida plena. Toda a vida tem um fim e um sentido. A Vida temporal termina na morte, mas a morte não é o fim da vida. Vigiai e orai, eis aqui a atitude de todo o que vive da esperança. O aparente egoísmo das virgens prudentes, é tão somente um constante apelo à responsabilidade.

Thursday, August 31

Quinta-feira da Semana XXI do Tempo Comum


Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=1637

Reflexão
O final do Evangelho de São Mateus contém várias parábolas sobre a vigilância. Aquela que hoje se lê dirige-se particularmente aos chefes da comunidade, que hão-de ser fiéis e avisados, mas é igualmente uma prevenção para todos nós, que aguardamos a vinda do Senhor. Este discurso não visa assustar, mas encorajar. Jesus exorta à vigilância: Vigiai!, Estai preparados! O dono deve vigiar a casa, mas também os servos, que são seus amigos e estimam a casa. O servo fiel e prudente faz as vezes de dono da casa e trata bem os seus companheiros. O mau servo aproveita a ausência do dono para desperdiçar os bens e maltratar.

Monday, August 7

Segunda-feira da Semana XVIII do Tempo Comum


Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=1618

Reflexão
Jesus teve compaixão da multidão e para alimentá-la multiplicou os pães e os peixes, na perspectiva do reino de Deus. Na fome da multidão espelha-se a longa noite de espera pela liberdade messiânica. Quatro quintos da humanidade passa fome. A miséria, património quotidiano do mundo subdesenvolvido, está à espera dum grito de libertação. O lema da Igreja é a opção fundamental pelos pobres, na fidelidade a Cristo. Em cada missa celebramos a multiplicação dos pães.

Friday, August 4

Memória litúrgica de São João Maria Vianney, presbítero

São João Maria Vianney nasceu perto da cidade de Lião, em França, a 8 de Maio de 1786. Cedo descobriu a sua vocação para o sacerdócio. Mas foi excluído do seminário pela sua dificuldade nos estudos. Foi, então, ajudado pelo pároco de Écully e, com quase trinta anos, foi ordenado sacerdote em Grenoble. Em 1819, foi nomeado pároco de Ars. Permaneceu quarenta e dois anos a paroquiar a pequena aldeia, que transformou, graças à sua bondade, à pregação da palavra de Deus, a sua mortificação e à sua caridade. A sua fama espalhou-se de tal forma que gente de toda a parte o procurava para se confessar e ouvir os seus conselhos. Faleceu a 4 de Agosto de 1859. Foi canonizado por Pio XI, em 1925, que também o declarou padroeiro de todos os párocos.


Reflexão
Jesus é repelido como profeta, até pelos seus conterrâneos. Não querem aceitar a novidade da Sua mensagem. Tal como predissera Simeão, é sinal de contradição. Também nos nossos dias. Os profetas da conversão são arautos da verdade pura e dura. Ele encontra hoje as mesmas dificuldades e a mesma falta de fé, entre aqueles que mantêm a filosofia dos escribas e dos fariseus e daqueles que O consideram ainda o filho do Carpinteiro, em antítese à sua filiação divina: o Verbo de Deus feito Homem.

Thursday, August 3

Quinta-feira da Semana XVII do Tempo Comum


Reflexão
Como a Moisés, Deus manifesta-se de diversos modos. O núcleo da parábola é a selecção desigual para justos e não justos, a inevitável presença de bons e maus, tanto no Reino de Deus, como no mundo e na Igreja.
A visão de conjunto do Reino de Deus, pode-se concretizar em três pontos: a implantação do Reino de Deus não se faz sem dificuldades (parábola do semeador; acabará, no entanto, por triunfar (grão de mostarda e fermento); é necessário ter paciência e não precipitar o juízo de Deus (o joio e a rede).

Wednesday, August 2

Quarta-feira da Semana XVII do Tempo Comum



Reflexão
À falta de bancos e caixas fortes o dinheiro e as jóias eram escondidas debaixo da terra. Jesus acentua grande alegria pelo encontro desses tesouros, em função do descobrimento do Reino. Jesus acentua a enorme alegria pelo seu encontro. Os santos tudo sacrificam pelo seguimento do reino. Todos buscam um tesouro fabuloso. Mas primeiro está o Reino de Deus.
A felicidade não está em ter, gastar, amontoar e consumir... mas certamente em partilhar o afecto, o dinheiro e o tempo com os outros.

Tuesday, August 1

Memória litúrgica de Santo Afonso Maria de Ligório

Santo Afonso de Ligório nasceu em Nápoles no ano 1696; obteve o doutorado em Direito Civil e Eclesiástico, recebeu a ordenação sacerdotal e fundou a Congregação do Santíssimo Redentor. Para fomentar entre o povo a vida cristã, dedicou-se à pregação e escreveu vários livros, sobretudo de teologia moral, matéria em que é considerado mestre insigne. Foi eleito bispo de Sant’Agata dei Goti, mas renunciou pouco depois ao cargo e morreu entre os seus, em Pagani, na Campânia, no ano 1787.


Reflexão
A parábola do trigo e do joio reflecte a leitura que dela fazia a primitiva comunidade cristã. Jesus explica quem é quem na parábola. A semente tem o seu processo; germina e frutifica, desde que haja respostas a Deus. A impaciência porém é uma tentação provocada pelo mundo materialista em que vivemos.

Monday, July 31

Memória litúrgica de Santo Inácio de Loiola




Reflexão
Duas breves parábolas sobre o reino de Deus que se completam uma à outra: a do grão de mostarda põe em relevo o contraste entre a pequenez dos começos desse reino e o esplendor do fim que ele há-de atingir; a do fermento, que leveda toda a massa, sublinha a força e energia do fermento e ainda o contraste entre a pequena quantidade do mesmo e a grande quantidade de massa, que ele é capaz de levedar. Assim é o reino de Deus no meio deste mundo.

Friday, July 21

Sexta-feira da Semana XV do Tempo Comum


Reflexão
A atitude de Jesus ante o sábado, mostra que uma lei positiva, pode ceder perante uma necessidade urgente. Jesus não nega a validez do sábado, senão que lhe veio dar plenitude, no domingo da ressurreição.
O domingo, em vez de ser o que por vezes parece - escravizante, - deverá passar a ser libertador. Urge, portanto, voltar a humanizar o domingo, o Dia do Senhor.