Monday, February 29

Segunda-feira da Semana III da Quaresma



Reflexão
Como Naaman, todos podem alcançar os favores de Deus. Como Elias ou Eliseu, Jesus sabe-se enviado a todos os homens. Ao monopólio judeu sobre a salvação, Jesus opõe a redenção universal! Salvação hoje continuada por mediação da Igreja, animada pelo Espírito Santo. Jesus não é recebido na sua cidade. No entanto, segue o seu caminho. De nada serviu nem serve, tentar obstaculizar a sua acção salvífica e libertadora da humanidade!

Friday, February 26

Sexta-feira da Semana II da Quaresma


Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia_semanal_ver.asp?liturgiaid=727

Reflexão
Estamos ante uma parábola-compêndio: a vinha, o dono, os agricultores, os criados, o filho morto e o castigo. Este é realmente um compêndio da História da salvação, onde está patente o mistério pascal de Cristo. A vinha significa tanto o novo Israel, como o Reino de Deus. Todos os que nele estamos, temos a responsabilidade de produzir frutos de conversão e de boas obras.

Thursday, February 25

Quinta-feira da Semana II da Quaresma



Reflexão
A riqueza tem os seus perigos. No Antigo Testamento, a riqueza de bens materiais era um sinal das bênçãos de Deus. O profeta, porém, distingue duas atitudes, dois caminhos e duas consequências: a maldição e a bênção: Deus é que retribui segundo o fruto das próprias obras.
O rico avarento e o pobre Lázaro: duas vidas diferentes e duas sortes finais distintas. A sorte final é consequência do estilo de vida levado nesta vida.
A surdez à palavra de Deus e a cegueira à insensibilidade perante as carências dos irmãos, é um perigo da riqueza. O rico é condenado não por ser rico, mas por ser egoísta. A parábola é para todos: ricos e pobres. Todos temos ao nosso lado algum Lázaro mais pobre do que nós. Só o amor partilhado leva à mudança de estruturas, segundo a justiça.

Wednesday, February 24

Quarta-feira da Semana II da Quaresma



Reflexão
Jeremias queixa-se de o quererem maltratar, apesar do bem que tinha feito. O mesmo aconteceu a Jesus pois, apesar de passar pela terra a fazer o bem, querem condená-lo à morte.
Para alcançarmos um lugar no reino dos Céus já sabemos que temos que seguir os seus passos. E Ele convida-nos, como a Tiago e a João: Podeis beber o cálice que estou para beber? É um convite para a Quaresma. Procuremos cumprir bem os nossos deveres, aceitemos bem as contrariedades, vivamos bem a caridade.

Tuesday, February 23

Terça-feira da Semana II da Quaresma



Reflexão
O culto a Deus deve traduzir a conversão pessoal e comunitária, tanto no antigo como no novo Testamento. A verdade tem um caminho, e só quem o segue, tem a salvação de Deus.
A interiorização religiosa foi um processo lento na vida do povo de Israel e também na nossa. O que está em causa é a conversão de todos nós.
Todo o crente sente a tentação de um sistema de mentira, ou então de se circunscrever à observância do estritamente legal. O muito que falta por converter no nosso coração! A coerência de uma vida de testemunho.

Monday, February 22

Festa da Cadeira de São Pedro


Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia_semanal_ver.asp?liturgiaid=987

Reflexão
Pedro é Cabeça do Colégio Apostólico e Mestre supremo da verdade. O papa, sucessor de Pedro, é o fundamento perpétuo e visível da unidade da Igreja, o sacramento perene dessa unidade.
Foi essa a vontade de Cristo, e para isso deu-lhe a Sua própria autoridade e segurança. Aceitar o ensinamento do Papa é a melhor maneira de honrar a Cátedra de Pedro. A sua missão, cuidar do Rebanho.
Esta Festa de São Pedro significa a Unidade da Igreja. Cristo, pedra viva, garante à sua Igreja, edificada sobre Pedro, a vitória sobre os poderes da morte.

Friday, February 19

Sexta-feira da Semana I da Quaresma



Reflexão
Deus aposta sempre na vida. Ele não quer a morte de ninguém; só quer que o pecador se converta e viva, e dá sempre uma segunda oportunidade. A nova justiça do Reino de Deus ultrapassa todo o formalismo exterior e atinge o mais profundo do ser humano.

Thursday, February 18

Quinta-feira da Semana I da Quaresma



Reflexão
A eficácia da oração tem a sua raiz na bondade paternal de Deus. Na oração devemos pedir apenas e só o que Deus quer que peçamos. Rezar sempre, tem de ser o clima habitual de quem se sabe filho de Deus. Assim o têm feito legiões de santos de todos os tempos. A crise de todas as coisas não será uma crise de oração?!
A oração deve atingir toda a vida pessoal do crente, e tal como em Jesus, a oração é vivência pessoal, e só se compreende cabalmente se for vivida em profundidade.

Friday, February 12

Sexta-feira depois das Cinzas



Reflexão
O formulismo religioso e hipócrita é alvo de denúncia. Jejuns e ritos sem justiça, são pura magia. A prática religiosa deve supor, como conteúdo, as disposições do coração.
A Igreja mantém o jejum apenas duas vezes ao ano: na Quarta-feira de Cinzas e na sexta-feira Santa.
É preciso fazer jejum no egoísmo, na auto-suficiência, na intolerância, no consumismo, no ódio, para dar passo ao amor e à confraternidade universal. A penitência quaresmal é sobretudo partilha dos bens materiais e espirituais, com os mais pobres!

Tuesday, February 9

Terça-feira da Semana V do Tempo Comum



Reflexão
Jesus recrimina os fariseus a quem chama hipócritas por cumprirem tradições dos homens e desprezarem as leis de Deus, apelando desta forma a uma religião autêntica, reprovando todo o formalismo estéril, em favor de uma tradição autêntica que é fonte de vida. A novidade do cristianismo é ser religião em espírito e verdade, não atada a devoções e práticas de piedade vazias de sentido, ainda que representem tradições antigas! Também aqui devemos fazer uma revisão profunda das nossas devoções e práticas quotidianas de piedade de que, muitas vezes, já lhes perdemos o sentido, o vigor, e a consciencialização. A letra e os ritos das orações têm de estar cheios de Deus!

Monday, February 8

Segunda-feira da Semana V do Tempo Comum



Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/liturgia_semanal_ver.asp?liturgiaid=201

Reflexão
Jesus cura os doentes na perspectiva do Reino. As curas são sinais da presença do Messias e da libertação messiânica. O gesto de tocar Jesus, não era magia, mas impelido pela fé, na esperança da cura. O tocar Jesus, será o sinal duma adesão mais profunda à sua mensagem. Como integrante da Trindade, Jesus tem poder sobre a doença, sobre a vida e sobre a morte.
A vida e a saúde são dom de Deus, e os que a transmitem e a cuidam, estarão numa colaboração directa de Deus a salvar, a libertar o homem.

Thursday, February 4

Memória litúrgica de São João de Brito



Reflexão
David deixa como herança a Salomão, seu filho e sucessor, o testemunho duma incontestável fidelidade a Deus. Um rei, um governante fiel a Deus, é uma bênção para o povo; um rei, um governo agnóstico, é uma maldição; esta é a regra de ouro para todos os responsáveis das nações!
Jesus envia a ensinar e instruir sobre a chegada do Reino. A sua mensagem resume-se na proclamação da conversão. O que interessa acima de tudo é a conversão do coração no Reino de Deus. Como garantia, está a cura dos doentes e a libertação dos pobres. Desinteressado e disponível. Antes de tudo com o testemunho das obras, produto duma fé totalmente comprometida.

Wednesday, February 3

Quarta-feira da Semana IV do Tempo Comum



Reflexão
Os seus desconfiavam dele. Todo o Antigo Testamento tem o seu cumprimento em Jesus, mas tal como os profetas, Ele é rejeitado, precisamente pelos seus. Para os conterrâneos, Jesus não é mais do que o filho de Maria e de José, e não conseguiram assimilar o facto escandaloso da incarnação do Verbo. Como eles, a sociedade de hoje necessita de uma fé viva capaz de aceitar o escândalo de um Deus feito Homem.