Friday, November 15

Sexta-feira da Semana XXXII do Tempo Comum




Reflexão
A hora será inesperada. Será uma hora menos pensada: como nos tempos de Noé; como na destruição de Sodoma e Gomorra nos tempos de Lot. O homem de hoje, imerso no materialismo mais atroz, não se dará conta de que se aproxima a hora. Deus está ausente do seu horizonte. Por isso a vinda do Filho do Homem e o Juízo consequente, serão inesperados. Por isso é preciso estar sempre preparado: o juízo de Deus está a fazer-se aqui e agora; no lugar onde cada um se encontra; o quando, o como e o onde, são secundários. O que importa é estar preparados.

Thursday, November 14

Quinta-feira da Semana XXXII do Tempo Comum


Reflexão
A sabedoria é o esplendor da luz eterna. O hagiógrafo ressalta a omnipotência e omnisciência de Deus. Deus é amor e o amor necessita exprimir-se. A expressão mais exacta e o reflexo mais brilhante da Sabedoria do Pai é Jesus. Quando os judeus esperam os sinais do Reino de Deus, Jesus ensina-lhes que o Reino de Deus é interior, já está entre vós. Ante a hecatombe anunciada pelo próprio homem, Jesus diz que vivamos intensamente o presente, como garantia do futuro.

Friday, November 8

Sexta-feira da Semana XXXI do Tempo Comum


Reflexão
Não é a corrupção ou falta de honradez que se põe como modelo, mas sim a sagacidade, a esperteza para solucionar o problema da sua sobrevivência. É um exemplo para os filhos da luz, no seu esforço pela consecução do Reino, que merece o dispêndio de todas as energias, o imaginário de todas as soluções. É indispensável, pois renunciar a tudo o que seja contrário a Jesus Cristo, e decidir-se pelo Reino de Deus, definitivamente. Isso admite investir todos os talentos, segundo os critérios de Jesus.

Thursday, November 7

Quinta-feira da Semana XXXI do Tempo Comum


Reflexão
Nestas duas parábolas, ressalta a misericórdia de Deus que resume a História da Salvação, ao reabilitar totalmente a condição humana. A alegria no céu por aquele que se converte. Em contraposição com a atitude puritana dos fariseus e doutores da Lei. Também hoje, a hipocrisia no religioso e social precisa ser purificada para transparecer a misericórdia, o amor, a paz, a justiça, valores do reino de Deus na terra.

Wednesday, November 6

Pensamento do dia: 06-11-2019

Ninguém ganhou a última guerra nem ninguém ganhará a próxima. (Eleanor Roosevelt)

Memória litúrgica de São Nuno de Santa Maria

São Nuno de Santa Maria
Nasceu a 24 de Junho de 1360 no Cernache do Bonjardim. Aos 13 anos fazia parte do séquito do rei Dom Fernando e por essa altura foi armado Cavaleiro. Por obediência a seu pai casa com D. Leonor de Alvim, rica dama de Entre-Douro-e-Minho. Do casamento nasceu uma filha: Dona Beatriz. Após a morte de D. Fernando e porque a filha deste era casada com o rei de Castela, vendo ameaçada a independência nacional entra em actividade política. Em Santarém dá-se o estranho encontro com o Alfageme de Santarém. Convidado pelo Mestre de Avis foi eleito Regedor e Defensor do Reino. Após vencer várias batalhas (Atoleiros, Aljubarrota) e já viuvo lança ombros à construção do Convento do Carmo, em Lisboa. Em 1422 partilha os seus bens e professa no Carmo, em 15 de Agosto de 1423. Sempre o dia de Nossa Senhora da Assunção a presidir aos momentos culminantes da sua vida. Ei-lo agora o asceta despegado de toda as ambições terrenas, frivolidades, entregue por completo ao único fito de adorar e servir a Deus: o herói de outra batalha que, depois de se ter mostrado invencível nas lutas do mundo, abandona tudo para se tornar apenas, humilde e feliz, Frei Nuno de Santa Maria.
A 15 de Janeiro de 1918 a Sagrada Congregação dos ritos, em sessão plenária, aprova e reconhece o culto do Santo condestável, que o Papa Bento XV confirma, no decreto de 23 de Janeiro do mesmo ano. Em 26 de Abril de 2009, foi canonizado por Bento XVI.


Reflexão
Jesus e São Paulo pregam a religião do amor, que é a perfeição da Lei. No dizer de Santa Teresa, o Senhor não se fixa na grandeza das obras, mas no amor que as inspira... Por isso o evangelho é radical: é preciso renunciar a tudo o que pode dificultar ou impedir o seguimento a Cristo. Ele tem prioridade sobre todos os outros bens. A abnegação e a dor, a cruz e a morte, não têm valor em si mesmos. São apenas meios para um fim.
Os laços familiares também são relativos. Jesus não os despreza, na sua vertente humana e religioso-moral, convida apenas a harmonizá-los.

Monday, November 4

Memória litúrgica de São Carlos Borromeu

São Carlos Borromeu
Nasceu em Arona (Lombardia) no ano 1538; depois de ter conseguido o doutoramento In utroque iure, foi nomeado cardeal por Pio IV, seu tio, e eleito bispo de Milão. Foi um verdadeiro pastor da Igreja no exercício desta missão: visitou várias vezes toda a diocese, convocou sínodos e desenvolveu a mais intensa actividade, em todos os sectores, para a salvação das almas, promovendo por todos os meios a renovação da vida cristã. Morreu no dia 3 de Novembro de 1584.


Reflexão
A história religiosa é uma curva de fidelidade, abandonos e contradições. Cada ser humano é capaz de belos heroísmos e de degradantes mesquinhezes.
No reino de Deus não tem lugar a atitude mercantilista. A lei do reino de Deus é o amor e a gratuitidade, tal como foi o estilo de Jesus.

Sunday, November 3

Pensamento do dia: 03-11-2019

Antes de começar o trabalho de mudar o mundo, dê três voltas dentro de sua casa. (Provérbio Chinês)

Domingo XXXI do Tempo Comum


Liturgia da Palavra - https://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2590

Reflexão
Ouçamos a voz de Jesus que nos diz: Hoje devo ficar em tua casa, porque é lá que Jesus te quer encontrar. Ele quer ir a tua casa, habitar o teu coração, os teus sonhos, a tua vida de cada dia. Deixa-te olhar e chamar por Ele, acolhe-O com alegria. Ele pode mudar-te, transformar o teu coração e fazer da tua vida uma dádiva de amor. Deixa-te simplesmente olhar por Jesus, que faz brilhar, na tua vida, a luz que dimana do rosto da misericórdia do Pai!
Jesus quer ficar hoje em tua casa! Basta que O deixes entrar! Joga tudo, toda a tua vida, neste encontro com Ele. Hoje é o dia da tua sorte grande!

Thursday, October 31

Pensamento do dia: 31-10-2019

A amizade verdadeira sorri na alegria, consola na tristeza, alivia na dor e se eterniza em Deus. (J. Calvet)

Wednesday, October 30

Pensamento do dia: 30-10-2019

O trabalho é tão sagrado como a oração. (Padre Pio)

Quarta-feira da Semana XXX do Tempo Comum


Reflexão
Perguntar se são muitos os que se salvam, é uma pergunta feita nas escolas rabínicas de então, e repetida através dos séculos.
A salvação, porém, não é monopólio de ninguém, é universal. Apenas ficam de fora do Reino os que não escutam a Palavra e nem a põem em prática. Outros virão e tomarão o seu lugar. Entretanto, Jesus vai avisando que a porta que dá para o reino é estreita e só por ela é que se poderá entrar.

Tuesday, October 29

Terça-feira da Semana XXX do Tempo Comum


Reflexão
Ambas as parábolas do grão de mostarda e do fermento, manifestam o começo insignificante do Reino e o grande desenvolvimento final. A 1ª acentua o crescimento em extensão, e a 2ª em profundidade. Num e noutro caso, graças à força intrínseca do Reino.
Jesus manifesta predilecção por tudo o que é débil, pequenino e pobre. Apesar do descalabro reinante, a semente e o fermento do reino de Deus, transformam, a partir de dentro, o curso da História. Tanto a fé sem esperança de alguns crentes, como a esperança sem a fé dos agnósticos, são alienantes e falsas, porque não se apoiam na força intrínseca da semente.
A impaciência pelos frutos concretos e visíveis, a ânsia do êxito rápido e espectacular, aplicada a todos os sectores da vida, provoca derrapagem quando as coisas não acontecem como todos desejamos. Mas o crescimento do Reino é lento. Não se baseia nos nossos critérios de eficácia imediata. Tem o seu próprio ritmo.

Monday, October 28

Festa litúrgica de São Simão e São Judas


Reflexão
Antes de escolher os Doze, Jesus rezou toda noite. Dentre os seus discípulos, escolheu 12 apóstolos, como os Seus enviados directos. Na lista apostólica figuram Simão e Judas com posição discreta no Evangelho, mas tenazes no testemunho duma vida dada a Cristo.
Fomos gerados na fé apostólica, e passamos a ser filhos de Deus. Herdeiros do passado, construímos o presente como garantia do futuro. Por vontade de Jesus, a Igreja administra continuamente aos crentes, os sacramentos da fé. Temos que ser mártires, testemunhas do Evangelho de Cristo, como o foram São Simão e São Judas.

Friday, October 25

Sexta-feira da Semana XXIX do Tempo Comum


Reflexão
A ciência e técnica contribuem a conhecer os sinais indicadores da natureza. O tempo presente também deve ser adequadamente lido, para uma planificação em ordem ao futuro. Jesus convida-nos a interpretar o tempo presente como tempo de graça e de salvação.
São os sinais dos tempos. Trata-se, antes de mais, da Pessoa e obras de Jesus. O discernimento desses sinais, requer uma sabedoria que só se aprende com a fé. Daí a necessidade de estarmos atentos a tudo, pois também no mundo acontece o Reino de Deus.

Thursday, October 24

Quinta-feira da Semana XXIX do Tempo Comum

Liturgia da Palavra - https://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2668

Reflexão
A paz tem um preço. O fogo é uma figura habitual na Bíblia, para exprimir o juízo de Deus que purifica o homem, como o ouro no crisol. Fogo que está já a actuar na comunidade dos crentes. O próprio Jesus é o primeiro a passar tal prova, pelo baptismo no Seu sangue.
Esta situação conflituosa da luta entre o Bem e o Mal atinge o coração da família e de cada crente. Tal experiência já foi vivida pelos primeiros cristãos. O seguimento do reino está por cima de todo o apego familiar ou material.
Seguir Jesus como discípulo tem um preço que pode ser mesmo a própria vida. São as pequenas opções por Cristo, que nos levam à entrega total e sem condições.

Wednesday, October 23

Quarta-feira da Semana XXIX do Tempo Comum



Reflexão
Em duas parábolas, Jesus pretende o mesmo efeito: acentuar o inesperado da vinda do Senhor. A sua chegada é comparada à do ladrão, na noite. Na parábola do mordomo há uma referência directa aos Pastores das comunidades.
Assim o tempo da Igreja é tempo de vigilância, como o reconheceram as comunidades primitivas. A vigilância activa é, portanto, o estilo de vida permanente do cristão, situado no já e no ainda não. Ele virá, mas não sabemos quando... nem o dia... nem a hora!...

Tuesday, October 22

Terça-feira da Semana XXIX do Tempo Comum

Liturgia da Palavra - https://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2665

Reflexão
Os criados, convertidos em senhores, como prémio da sua vigilância activa, é uma forma bíblica de apresentar a recompensa dos pobres de Israel. A cena dá lugar a uma referência eucarística, na Ceia pascal.
A vigilância é atitude própria do amor que vela sobretudo na noite. Esta, sem contraposição ao dia, é tempo privilegiado de liberdade; em contraposição ao dia, é símbolo do mal.
A caminhada do crente é feita entre luzes e trevas. O que é preciso, é estar vigilante!

Friday, October 18

Festa litúrgica de São Lucas, Evangelista


São Lucas
Nascido em Antioquia (Síria) Lucas é um homem de cultura multifacetada. Atraído pela figura e pelo exemplo de Paulo, Lucas converte-se e coloca-se ao serviço do Apóstolo. Passa a ser o companheiro inseparável, mesmo quando outros discípulos o abandonam. Lucas é também um atento observador da vida de Maria. O tema fundamental do seu Evangelho, é a admissão dos pagãos à participação no Reino. Lucas é o auscultador atento dos sentimentos humanos de Cristo.

Thursday, October 17

Memória litúrgica de Santo Inácio de Antioquia

Santo Inácio de Antioquia
Santo Inácio sucedeu ao apóstolo São Pedro no governo da comunidade cristã de Antioquia. Nos inícios do século II, foi conduzido a Roma para ser condenado às feras. Enquanto ia a caminho do martírio, Santo Inácio escreveu sete cartas às diversas igrejas do seu tempo. São cartas escritas com sangue, verdadeiros pedaços de vida, com o grito ardente de um místico que anseia pelo martírio. Estas cartas, cuja autenticidade é admitida pela maioria dos estudiosos, com sólidos argumentos, conservam rasgos vivos e luminosos de uma das maiores personalidades dos primeiros séculos da Igreja.


Reflexão
Possuidores da chave do saber religioso, os doutores da Lei fecham e não abrem a porta da salvação aos simples. Deus enviou-lhes profetas e apóstolos que, segundo a tradição os perseguem e matam. A Bíblia enumera 104 profetas, dos quais 49 não deixaram nome. Hoje como ontem, a vida dos profetas não é fácil e a sua missão é, muitas vezes, rejeitada.

Wednesday, October 16

Memória litúrgica de Santa Margarida Maria Alacoque

Liturgia da Palavra - https://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2661

Santa Margarida Maria Alacoque, Virgem

Nasceu em 1647 na diocese de Autun (França) no ano de 1647. Entrou no mosteiro da Visitação, em Paray-le-Monial, quando tinha 27 anos de idade, progrediu de modo admirável no caminho da perfeição. Na capela desse mosteiro teve revelações místicas, particularmente sobre a devoção ao Coração de Jesus, recebendo a missão de divulgar a devoção ao mesmo Sagrado Coração, com o apoio e a ajuda de São Cláudio de La Colombière e contribuiu muito para introduzir o seu culto na Igreja. Morreu a 17 de Outubro de 1690, sendo canonizada por Bento XV, em 1920. Santa Margarida Maria é um dos padroeiros da Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus, Dehonianos.

Reflexão

Jesus interpela os fariseus porque se preocupam com minúcias e desprezam o principal. São escravos da vaidade e do orgulho, sepulcros caiados, repletos de hipocrisia e corrupção e, em vez de guias, converteram-se em ditadores da opressão. Jesus respeita a observância da Lei, mas diz que a primazia pertence à justiça e ao amor. Exemplo para os cristãos que devem libertar-se dos esquemas legalistas e procurar um clima filial de liberdade em Cristo. Para o cristão, a Lei é Cristo que se define por um total amor aos homens a quem fez irmãos.

Tuesday, October 15

Memória litúrgica de Santa Teresa de Jesus

Santa Teresa de Jesus, Virgem e Doutora da Igreja
Santa Teresa de Jesus nasceu em Ávila, Espanha, no ano de 1515. Entrou no Carmelo da Incarnação em 1535. Depois de um longo período de tibieza, começou a sua "conversão", com uma intensa vida mística em contato com Cristo, que a levou ao forte desejo de servir a Igreja do seu tempo, dilacerada pela Reforma protestante. Em 1562, fundou o Carmelo de S. José, em Ávila, onde deu início à reforma da Ordem. Seguiram-se diversas fundações de conventos reformados em Castela e na Andaluzia. A reforma estendeu-se também aos conventos carmelitas masculinos, graças à colaboração de S. João da Cruz, seu diretor espiritual, a partir de 1567. No leito de morte declarou-se feliz por morrer "filha da Igreja". Faleceu a 4 de Outubro de 1582. Foi canonizada por Gregório XV, em 1623, e declarada Doutora da Igreja por Paulo VI, em 1970.


Reflexão
Jesus não suporta a hipocrisia. Por isso, não se submete à prática pseudo-religiosa das abluções rituais, ditadas pelas tradições rabínicas. Jesus acusa-os de hipócritas, avarentos e intemperantes, fazendo-lhes ver a necessidade da conversão interior.
Os ritos têm a sua importância, mas não podem ser absolutizados. As atitudes pessoais do crente, são o fundamento da comunhão do homem com Deus. A nova lei do crente é o mesmo Jesus em Pessoa. Ele é nova e única mediação libertadora.

Friday, October 11

Sexta-feira da Semana XXVII do Tempo Comum

Reflexão
Todo o sinal é ambivalente. Depende de quem o interprete. Foi o que sucedeu com a cura do possesso: Uns admiraram o poder libertador de Jesus e a bondade de Deus manifesta n’Ele; outros fizeram-No cúmplice do próprio demónio. Só a fé ajuda a compreender os sinais (milagres) como provenientes de Deus.
Todo sinal de Deus, como palavra eficaz do mesmo Deus, apela a uma opção a favor ou contra. A sorte do povo de Israel é semelhante à do possesso curado. O povo eleito, hoje, é a Igreja e é nela que optamos ou não, pelo Senhor.

Thursday, October 10

Quinta-feira da Semana XXVII do Tempo Comum


Reflexão
As comparações de Jesus ilustram bem a Sua ideia quanto à necessidade, à perseverança e à eficácia da oração. Esta estará hoje numa situação de crise, tanto a nível individual como familiar e comunitária.
Que atitudes tomar? O desprezo, o descuido e o abandono são atitudes negativas; o amor, a estima e prática fiel e eficaz são atitudes positivas. É fundamental rezar, à medida e semelhança de Cristo. Oração pessoal e comunitária, na intimidade ou em grupo, no trabalho ou no recolhimento. Homem sem oração é um animal sem razão, diz São Filipe de Néri.

Wednesday, October 9

Quarta-feira da Semana XXVII do Tempo Comum


Liturgia da Palavra - https://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2655

Reflexão
Apesar de pequenas variantes, a coincidência da oração do Senhor é básica e clara, nos Evangelhos de Mateus e de Lucas. A versão de Mateus (7 petições) era mais do uso litúrgico e habitual; a de Lucas (5 petições), reflecte, porventura, com mais fidelidade as palavras do Senhor.
O Pai-nosso é uma verdadeira síntese do Evangelho. Ao chamarmos todos a Deus por Pai entramos no círculo da família trinitária. No Abbá – Papá, culmina a história da oração de todos os tempos. Todos necessitamos descobrir no Pai-Nosso uma escola de oração e a sua verdadeira linguagem de filhos e de irmãos.

Tuesday, October 8

Terça-feira da Semana XXVII do Tempo Comum


Reflexão
A comunidade familiar de Betânia dá hospitalidade a Jesus. Marta desenvolve actividade desbordante sendo exemplo do activismo. Maria soube aproveitar a ocasião para escutar a Palavra, à qual pertence a primazia. Trabalho e oração podem andar juntos, pois não constituem nem oposição nem um dilema.
Marta e Maria representam para os crentes, duas atitudes complementares de busca e de acolhimento do Reino de Deus. Não se trata de alternativa. Ambas se complementam numa simbiose perfeita. Antes de falarmos ao mundo de Deus, falemos a Deus do mundo.

Friday, October 4

Memória litúrgica de São Francisco de Assis

São Francisco de Assis
Nasceu em Assis, no ano 1182. Depois de uma juventude leviana, converteu-se a Cristo, renunciou a todos os bens paternos e entregou se inteiramente a Deus. Abraçou a pobreza para seguir mais perfeitamente o exemplo de Cristo e pregava a todos o amor de Deus. Formou os seus companheiros com normas excelentes, inspiradas no Evangelho, que foram aprovadas pela Sé Apostólica. Fundou também uma Ordem de religiosas e uma Ordem Terceira para seculares; e promoveu a pregação da fé entre os infiéis. Morreu em 1226.  


Reflexão
O Livro de Baruc fala-nos dos sentimentos do povo de Deus durante o exílio. A sua humilde oração pode ser também a de nós todos, povo salvo, mas que continua pecador, oração que é um verdadeiro acto de contrição de quem sabe reconhecer que tudo o que sofre é consequência dos seus pecados. Este povo sente-se solidário na história passada feita de promessas divinas e de pecados do povo. O povo não correspondeu à generosidade de Deus, revoltou-se e desobedeceu e por isso, confessa as suas culpas e reconhece a inocência e a justiça de Deus.
Jesus chamava a atenção das cidades que não tinham prestado atenção à pregação dos seus enviados; e chama-nos a nós a escutarmos todos aqueles que nos fazem chegar a mesma mensagem de salvação. É a sua própria mensagem que nos chega através dos seus mensageiros. A condenação das três cidades deve ser entendida a vários níveis: Jesus sublinha que estas cidades não acolheram a Palavra pregada por Ele e o apelo à conversão; Jesus realça o abandono dos seus e dá-se conta da hostilidade do povo; Jesus prevê que o Evangelho ultrapasse as fronteiras da Galileia e que chegue a todos os povos, enquanto as cidades que ouviram a sua pregação permaneçam fechadas. Este evangelho é um aviso para todos aqueles que se excluem da graça do Senhor e caem na hipocrisia e na resistência.

Pensamento do dia: 04-10-2019

O que você tem a temer? Nada. Quem você precisa temer? Ninguém. Porquê? Porque aqueles que se unem a Deus obtêm três grandes privilégios: omnipotência sem poder, embriaguez sem vinho e vida sem morte. (São Francisco de Assis)

Thursday, October 3

Pensamento do dia: 03-10-2019

A música é o barulho que pensa. (Victor Hugo)

Quinta-feira da Semana XXVI do Tempo Comum


Reflexão
O anúncio do Reino de Deus e a paz vão unidos… muito embora se consigam apenas com denodados esforços.
Jesus dá conselhos práticos a todos aqueles que partem a missionar, a anunciar o Evangelho. A missionação é universal, é para todos os povos, e para o homem todo.

Tuesday, October 1

Memória litúrgica de Santa Teresa do Menino Jesus





Reflexão
Jesus começa o caminho que terminará na Ascensão. Os samaritanos recusam-se a receber Jesus. Este repreende os apóstolos por quererem convertê-los à força. A violência não é método a ser utilizado pelos homens do Reino, mas sim o amor, a compreensão, a tolerância, o respeito pela pessoa dos outros. Não pode haver intransigência nem fanatismo religioso. Ante a atitude justiceira dos apóstolos, Jesus prefere, mesmo nos dias que correm, o fogo do amor.

Thursday, September 26

Quinta-feira da Semana XXV do Tempo Comum

Reflexão
Herodes, perplexo pelo que ouvia dizer de Jesus, também perguntava por Ele. Frívolo e incrédulo, mas curioso e astuto, dissimula facilmente as suas intenções assassinas. No fundo, não aceita alguma das versões que corre entre o povo acerca de Jesus. Na paixão vai conhecê-lo.
Jesus, afinal era já o Messias esperado e anunciado pelos profetas. À luz da fé pascal, todas as dúvidas serão dissipadas. À sua categoria de Deus, Jesus acrescentava a plenitude de todos os valores humanos. Quem é Ele para nós, homens do terceiro milénio?

Wednesday, September 25

Quarta-feira da Semana XXV do Tempo Comum




Liturgia da Palavra - https://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2670

Reflexão
Evangelizar é a vocação própria da Igreja, e de todo o cristão. Toda a comunidade eclesial é, portanto missionária, sobretudo pela presença a pelo testemunho.
Jesus estabeleceu os condicionalismos do envio: um total desprendimento das coisas supérfluas. O envio é actual, mas faltam vocações. É indispensável suscitá-las, e, sobretudo uma disponibilidade total ao serviço do Reino.
Aos que pretendem acurralar a igreja na sacristia, Jesus responde com a acção milagrosa em favor dos corpos: curar todas as doenças. A evangelização deve ter em conta o homem todo, integral.

Monday, September 23

Segunda-feira da Semana XXV do Tempo Comum

Reflexão
Cristo é a luz destinada a iluminar os caminhos do mundo. Entretanto a sua Pessoa e mensagem passam por uma etapa de penumbra, até à manifestação plena. Também o seu discípulo deverá estar consciente de que ele também é luz. Mistério que não é privilégio de minoria de superdotados, pois está ao alcance de todos. Os membros do novo Povo de Deus. Os seus discípulos na fé e nas obras, herdaram de Cristo a sublime missão de ser luz para o mundo!

Friday, September 20

Memória litúrgica dos Santos André, Paulo e Companheiros da Coreia



Nota Histórica
No início do século XVII, por iniciativa de alguns leigos, entrou pela primeira vez a fé cristã na Coreia. Assim se formou uma comunidade forte e fervorosa, sem pastores, quase só conduzida por leigos, até ao ano 1836, durante o qual chegaram os primeiros missionários, vindos de França, que entraram furtivamente na região. Nas perseguições dos anos 1839, 1846 e 1866, surgiram desta comunidade 103 santos mártires, entre os quais se distinguem o primeiro presbítero e ardente pastor de almas André Kim Taegon e o insigne apóstolo leigo Paulo Chong Hasang. Os outros são quase todos leigos, homens e mulheres, casados ou não, anciãos, jovens e crianças, que, suportando o martírio, consagraram com o seu glorioso sangue os florescentes primórdios da Igreja coreana.


Reflexão
Neste texto exclusivo de Lucas, Jesus confere a um grupo de mulheres uma dignidade e um papel inédito no seu tempo; reconhece-lhes o direito de serem suas discípulas, escutando e conhecendo o Evangelho do Reino, associando-as à obra da evangelização, ao lado dos Doze.
A atitude de Jesus contrasta com a dos escribas do seu tempo e de todos os tempos, que não reconhecem à mulher, capacidade para compreender a Torá e, por isso mesmo, rabino algum tinha mulheres entre os seus discípulos. No Evangelho, porém, a mulher tem um lugar de destaque, a tal ponto que são elas que levam aos Apóstolos, a notícia da Ressurreição. Como seria bom meditar nesta dignidade da mulher e ser consequente com ela, mesmo na vida da Igreja!…

Thursday, September 19

Quinta-feira da Semana XXIV do Tempo Comum


Reflexão
Em casa de Simão estão frente a frente duas atitudes contraditórias; a humildade da pecadora, e o orgulho auto-suficiente de Simão. Jesus está do lado da pecadora, e perdoa-lhe todos os pecados, porque muito amou.

Wednesday, September 18

Quarta-feira da Semana XXIV do Tempo Comum

Liturgia da Palavra - https://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2636

Reflexão
O mistério da piedade é a obra do Filho de Deus para salvar o mundo. São Paulo celebra esse mistério nesta passagem, que é um verdadeiro hino, onde se cantam os momentos principais dessa obra do Senhor, desde que Ele Se manifestou na carne, pela Encarnação, até que foi exaltado na glória, pela Morte e Ressurreição.
Com uma pequena parábola, Jesus censura a contradição dos que O não escutam, porque se julgam sempre com razões para se furtarem a escutar a palavra de Deus. As razões mais fúteis são sempre suficientes para pessoas fúteis, e acabam por denotar infantilidade de espírito.

Tuesday, September 17

Terça-feira da Semana XXIV do Tempo Comum






Reflexão
Paulo fala a Timóteo das qualidades que o bispo deve ter para bem governar, servir e administrar a Igreja. Que o bispo seja marido de uma só mulher, se for casado não o seja em segundas núpcias. É o mesmo que se exigia à candidata ao grupo das viúvas: que tenha sido esposa de um só marido. Mas melhor seria se o bispo fosse celibatário, como o era Paulo. Estas são exigências feitas a quem quer que se dispusesse a exercer uma função de autoridade e de serviço na Igreja.
Jesus ressuscita um morto, como, no Antigo Testamento, o tinham feito Elias e Eliseu. Assim, Jesus Se manifesta grande profeta, como a multidão acaba por reconhecer. Na sua pessoa, Deus está presente no meio do seu povo, numa visita de salvação e, nesta ressurreição, Jesus adianta um sinal da sua futura ressurreição.

Friday, September 13

Sexta-feira da Semana XXIII do Tempo Comum

Liturgia da Palavra - https://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2632

Reflexão
Ao encontrar a Cristo, Paulo fez um volte face à sua vida, dedicando-se a anunciar aquele que antes perseguia. O seu esforço é comparado ao dos atletas que correm no estádio.
Cristo exige dos cristãos uma coerência de vida, sobretudo naqueles que têm postos de comando. Condena toda a espécie de hipocrisia, venha ela de onde vier. Previne contra as traves que possamos ter na nossa vista, que possam impedir a recta visão dos actos dos nossos irmãos, colegas ou subordinados. Cegos que cairão no abismo, julgando os outros à maneira da sua cegueira, provocada pelas traves que têm na sua vista.


Thursday, September 12

Quinta-feira da Semana XXIII do Tempo Comum


Reflexão
O amor cristão deverá superar o espaço limitado do sangue, da família, dos amigos, para se abrir ao amor universal. A medida do amor é Cristo; é preciso romper a espiral do ódio e da violência. A medida do amor é amar sem medida!… O Cristão deve amar como Cristo amou. Exigente, sem dúvida, mas essa é a medida: uma boa medida, cheia, recalcada de amor universal.

Wednesday, September 11

Quarta-feira da Semana XXIII do Tempo Comum


Reflexão
Fomos chamados por Deus, até de entre o mundo pagão, e tornámo-nos membros do Corpo de Cristo pelo baptismo. Nele morremos e ressuscitámos com Cristo. Trazemos agora em nós a vida do Cristo celeste, a vida nova de Cristo ressuscitado, que se há-de manifestar em nós, membros do seu Corpo, na maneira como vamos vivendo sobre a terra.
O homem é feliz, quando olha para este mundo com os olhos de Deus; e infeliz, quando o aprecia com o coração egoísta e orgulhoso. É no coração que o homem é rico ou pobre. Como for o seu coração diante dos bens deste mundo, assim ele será feliz ou infeliz, de Deus ou contra Deus. É preciso saber amar e saber renunciar, para dar a cada coisa o seu justo valor. São Lucas resume as bem-aventuranças em quatro e apresenta também quatro maldições.

Tuesday, September 10

Terça-feira da Semana XXIII do Tempo Comum


Reflexão
A escolha dos doze Apóstolos como alicerce da sua Igreja, tem relação íntima com as doze tribos do povo de Deus, Israel.
Curioso o facto desta decisão importante ser tomada após uma noite de oração. Depois desce à planície e continua o seu ministério apostólico.
O título de apóstolo, que não foi exclusivo dos doze, é hoje atribuído a todo o cristão, na medida em que serve a missão evangelizadora da Igreja dos nossos dias.

Friday, August 9

Memória litúrgica de Santa Teresa Benedita da Cruz, Virgem e Mártir

Santa Teresa Benedita da Cruz
Celebramos hoje a Festa de uma das Padroeiras da Europa, Santa Teresa Benedita da Cruz. O seu nome era Edith Stein, filha de pais judaicos, nasceu em Breslau no dia 12 de Outubro de 1891. Tendo-se dedicado aos estudos filosóficos, empenhou-se perseverantemente na procura da verdade, até que encontrou a fé em Deus e se converteu à Igreja Católica. Foi baptizada no dia 1 de Janeiro de 1922. Desde então serviu a Deus na função de professora e escritora. Agregada às irmãs carmelitas em 1933 com o nome Teresa Benedita da Cruz por ela escolhida, dedicou a sua vida ao serviço do povo judaico e do povo alemão. Deixando a Alemanha por causa da perseguição aos Judeus, foi recebida a 31 de Dezembro de 1938 no convento das carmelitas de Echt (Holanda). No dia 2 de Agosto de 1942 foi presa pelas autoridades que exerciam o poder aterrador na Alemanha e enviada para o campo de concentração de Auschwitz-Birkenau (Polónia), destinado ao genocídio do povo judaico. Aí foi cruelmente morta no dia 9 de Agosto.   

Reflexão
O tempo da Igreja é um tempo de graça… Urge uma vigilância activa ao cumprir a missão recebida. A vigilância não é evasão. Se Deus pede contas, a melhor resposta há-de ser uma vida plena. Toda a vida tem um fim e um sentido. A Vida temporal termina na morte, mas a morte não é o fim da vida. Vigiai e orai, eis aqui a atitude de todo o que vive da esperança.

Thursday, August 8

Memória litúrgica de São Domingos, Presbítero

São Domingos
Nasceu em Caleruega (Espanha) cerca do ano 1170. Estudou Teologia em Palência e foi nomeado cónego da Igreja de Osma. Por meio da sua pregação e do exemplo da sua vida combateu com grande êxito a heresia dos Albigenses. Com os companheiros que aderiram a esta empresa fundou a Ordem dos Pregadores. Morreu em Bolonha no dia 6 de Agosto de 1221.


Reflexão
Jesus dirá: Se alguém tem sede, venha a Mim e beba. Ele é o verdadeiro rochedo donde brota a água viva. No tempo de Moisés, como sobretudo depois que Ele veio ao mundo feito homem, o Filho de Deus vem do Pai até nós como torrente de água viva que pode matar a sede a todos os que d’Ele se aproximam.
Quem é Jesus? Quem dizem os homens que Ele é? E, vós, quem dizeis que Eu sou? Antes de anunciar aos discípulos a sua morte, Jesus pede-lhes um acto de fé n’Ele. É Pedro quem o faz. A este acto de fé, em que Pedro declara: Tu és o Messias..., Jesus responde imediata e directamente: Tu és Pedro... A Igreja será edificada, como sobre uma rocha, sobre este acto de fé de Pedro.

Wednesday, August 7

Quarta-feira da Semana XVIII do Tempo Comum


Reflexão
A mulher cananeia, ou melhor siro-fenícia, insiste na exposição da sua necessidade urgente, a cura da sua filha. A insistência da Cananeia, a sua fé, fazem com que Jesus, fazendo um público elogio à sua fé, concede-lhe como ela deseja. Desta forma fica esclarecido que a fé é uma condição de acesso aos favores de Deus, e a salvação é universal. Nesta passagem estão presentes todos os problemas teológicos colocados à Igreja primitiva, isto é o universalíssimo da salvação, pois todos os pagãos também são herdeiros das promessas messiânicas.

Tuesday, August 6

Festa litúrgica da Transfiguração do Senhor


Reflexão
O Evangelho de hoje fala-nos da Transfiguração de Jesus. Ele leva consigo três de seus discípulos mais próximos: Pedro, Tiago e João e subiu ao monte, para orar. O monte é um lugar especial, de encontro entre Deus e o homem, lugar de manifestação de Deus: é lá que Ele se revela e faz aliança com o seu Povo. Nós também somos convidados a subir ao monte e a transfigurarmos com Ele, a nos encontrarmos com Ele na oração e na reflexão também neste tempo de descanso e de férias para muitos.
A mudança do rosto e as vestes brancas são um sinal da divindade de Jesus, Ele que é verdadeiro homem e verdadeiro Deus. A nuvem é símbolo da presença de Deus que conduz o seu Povo através do deserto.
Jesus conversa com Moisés e Elias, duas grandes figuras de Israel, que representam a Lei e os Profetas: Ele é o Messias esperado por todos os séculos, é a plenitude da Lei e dos Profetas. N’Ele completam-se todas as promessas do Antigo Testamento.
São Pedro gostando da companhia e do lugar de encontro disse a Jesus: Senhor, como é bom estarmos aqui! Se quiseres, farei três tendas: uma para Ti, outra para Moisés e outra para Elias. Jesus quer que os seus discípulos não fiquem constantemente iluminados, transfigurados e sempre com a presença física de Jesus, de Elias e de Moisés mas devem descer o monte Tabor e continuar a sua vida, ajudando a proclamar a Boa Nova a todos os irmãos. Jesus alerta-os que há muito trabalho para fazer e convida-nos a descer da montanha e a regressar para a realidade da vida, transformados, renovados e fortalecidos pela experiência da transfiguração, pela experiencia da oração porque a Sua Palavra chama, faz existir, cura, liberta, muda o coração, dá vigor à nossa vida.
O evangelista Lucas apresenta-nos a oração como alternativa ao stress, à agitação e à dispersão próprias do nosso tempo. Falar com Deus, dialogar com Ele, é a resposta eficaz e o caminho a seguir para a nossa transfiguração. Devemos perceber e estarmos conscientes de que a oração é iniciativa de Deus. No Tabor, Deus disse: Este é o meu Filho muito amado, escutai-o. Cada um de nós, pelo facto de ter a Deus consigo e de ser transfigurado à sua imagem divina, pode exclamar com alegria: É bom nós estarmos aqui, onde tudo irradia luz, felicidade e alegria, onde o coração é inundado de paz, serenidade e doçura. Rezemos para que estejamos sempre na companhia de Jesus e que transfiguremos a nossa vida com Ele.

Friday, August 2

Sexta-feira da Semana XVII do Tempo Comum


Reflexão
Jesus é repelido como profeta, até pelos seus conterrâneos. Não querem aceitar a novidade da Sua mensagem. Tal como predissera Simeão, é sinal de contradição. Também nos nossos dias. Os profetas da conversão são arautos da verdade pura e dura. Ele encontra hoje as mesmas dificuldades e a mesma falta de fé, entre aqueles que mantêm a filosofia dos escribas e dos fariseus e daqueles que O consideram ainda o filho do Carpinteiro, em antítese à sua filiação divina: o Verbo de Deus feito Homem.

Thursday, August 1

Memória litúrgica de Santo Afonso Maria de Ligório, bispo e doutor da Igreja


Santo Afonso Maria de Ligório, bispo e doutor da Igreja
Nasceu em Nápoles no ano 1696; obteve o doutorado em Direito Civil e Eclesiástico, recebeu a ordenação sacerdotal e fundou a Congregação do Santíssimo Redentor. Para fomentar entre o povo a vida cristã, dedicou-se à pregação e escreveu vários livros, sobretudo de teologia moral, matéria em que é considerado mestre insigne. Foi eleito bispo de Sant’Agata dei Goti, mas renunciou pouco depois ao cargo e morreu entre os seus, em Pagani, na Campânia, no ano 1787.

Reflexão das Leituras
Como a Moisés, Deus manifesta-se de diversos modos. O núcleo da parábola é a selecção desigual para justos e não justos, a inevitável presença de bons e maus, tanto no Reino de Deus, como no mundo e na Igreja. A visão de conjunto do Reino de Deus, pode-se concretizar em três pontos: a implantação do Reino de Deus não se faz sem dificuldades (parábola do semeador; acabará, no entanto, por triunfar (grão de mostarda e fermento); é necessário ter paciência e não precipitar o juízo de Deus (o joio e a rede).

Wednesday, July 31

Memória litúrgica de Santo Inácio de Loiola, Presbítero:


Santo Inácio de Loiola, Presbítero
Nasceu no ano 1491 em Loiola, na Cantábria (Espanha); seguiu primeiramente a vida da corte e a vida militar. Depois, consagrando-se totalmente ao Senhor, estudou teologia em Paris e aí reuniu os primeiros companheiros, com quem mais tarde fundou em Roma a Companhia de Jesus. Exerceu intensa actividade apostólica e, particularmente com os seus escritos e com a formação de discípulos, contribuiu grandemente para a reforma da vida cristã e para a renovação da acção missionária. Morreu em Roma no ano 1556.

Reflexão das Leituras
À falta de bancos e caixas fortes o dinheiro e as jóias eram escondidas debaixo da terra. Jesus acentua grande alegria pelo encontro desses tesouros, em função do descobrimento do Reino. Jesus acentua a enorme alegria pelo seu encontro. Os santos tudo sacrificam pelo seguimento do reino. Todos buscam um tesouro fabuloso. Mas primeiro está o Reino de Deus. A felicidade não está em ter, gastar, amontoar e consumir... mas certamente em partilhar o afecto, o dinheiro e o tempo com os outros.

Pensamento do dia: 31-07-2019

Não é o muito saber que sacia e satisfaz a alma, mas o sentir e saborear internamente as coisas (Santo Inácio de Loyola)

Tuesday, July 30

Terça-feira da Semana XVII do Tempo Comum


Reflexão
A parábola do trigo e do joio reflecte a leitura que dela fazia a primitiva comunidade cristã. Jesus explica quem é quem na parábola. A semente tem o seu processo; germina e frutifica, desde que haja respostas a Deus. A impaciência porém é uma tentação provocada pelo mundo materialista em que vivemos.

Monday, July 29

Festa litúrgica de Santa Marta, Santa Maria e São Lázaro





Reflexão
Marta é irmã de Maria e de Lázaro de Betânia. No evangelho aparece em apenas três episódios. É uma mulher dinâmica, que acolhe desveladamente Jesus. Maria, também aparece apenas três vezes em cena, nos evangelhos. É a mulher atenta e contemplativa, que dá mais atenção ao Senhor do que às coisas do Senhor. De Lázaro sabemos apenas o que dele se diz no evangelho de João. Os três são amigos e hospedeiros do Senhor.
Na hora da dor e sofrimento pela morte do irmão, Marta lamenta a ausência de Jesus, mostrando-se convencida de que não teria morrido se Ele estivesse presente. Jesus afiança que Lazaro vai ressuscitar, porque de facto, Ele, Jesus, é a Ressurreição e a Vida. Exige apenas fé. Pois todo aquele que vive e crê em mim, não morrerá para sempre. Marta proclama então a sua fé. Acredita e espera. Às palavras de Jesus, Lázaro ressuscita.

Friday, July 19

Sexta-feira da Semana XV do Tempo Comum


Reflexão
A atitude de Jesus ante o sábado, mostra que uma lei positiva, pode ceder perante uma necessidade urgente. Jesus não nega a validez do sábado, senão que lhe veio dar plenitude, no domingo da ressurreição.
O domingo, em vez de ser o que por vezes parece - escravizante, - deverá passar a ser libertador. Urge voltar a humanizar o domingo, o Dia do Senhor.

Pensamento do dia: 19-07-2019

A oração é um colóquio com Deus, uma mútua comunicação na qual Ele diz interiormente à alma o que quer que saiba e faça e a alma fala com seu Deus o que Ele mesmo lhe inspira pedir. (São Vicente de Paulo)

Thursday, July 18

Memória litúrgica do Beato Bartolomeu dos Mártires, Bispo


Reflexão
Moisés recebe a revelação do Nome divino Eu sou, que corresponde ao nome de Iavé ou Javé (uma leitura inexacta desta palavra levou a lê-la também Jeová). Deus define-Se como Aquele que É, o Existente, mas que faz aliança com o seu povo. Toda a revelação futura não fará outra coisa senão desvendar, progressivamente, tudo quanto este nome divino encerra. Ele é um Deus pessoal, um Deus com Quem o homem pode dialogar. Deus revela-Se assim como Aquele que, sendo transcendente, estará sempre presente na vida do seu povo.
O Senhor Jesus apresenta-Se a todos os que sofrem, esmagados sob o peso de todos os fardos, como Aquele que pode dar o alívio, a paz e o repouso. Assim, Jesus realiza em Si a figura com que, já no Antigo Testamento, a Sabedoria convidava todos os que a escutavam a virem procurar em si a força e a alegria.

Pensamento do dia: 18-07-2019

Todas as nossas palavras serão inúteis se não brotarem do fundo do coração. As palavras que não dão luz aumentam a escuridão. (Santa Teresa de Calcutá)

Wednesday, July 17

Memória litúrgica dos Beatos Inácio de Azevedo e Companheiros


Beato Inácio de Azevedo e Companheiros
Inácio de Azevedo nasceu no Porto, de família ilustre, em 1526 ou 1527; entrou na Companhia de Jesus em 1548 e foi ordenado sacerdote em 1553. Mais tarde partiu para o Brasil, a fim de se consagrar ao apostolado missionário. Tendo voltado à pátria, conseguiu recrutar numerosos colaboradores para a sua obra evangelizadora e empreendeu a viagem de regresso; mas, interceptados ao largo das ilhas Canárias pelos corsários anticatólicos, ali sofreu o martírio no dia 15 de Julho de 1570; os trinta e nove companheiros que iam na mesma nau foram também martirizados no mesmo dia.

Reflexão
Os simples compreendem melhor a Jesus. Que contraste entre os sábios e poderosos e os pobres e humildes. Deus manifestou-se na Pessoa e obras de Jesus, mas só os simples de coração é que O entendem. Unidos, fé e ciência, seriam a situação ideal para conhecer e amar a Deus. A Deus chega-se melhor de joelhos do que estendendo a mão!

Pensamento do dia: 17-07-2019

Se a meta principal de um capitão fosse preservar seu barco, ele o conservaria no porto para sempre. (São Tomás de Aquino)

Tuesday, July 16

Memória litúrgica de Nossa Senhora do Carmo

Liturgia da Palavra - https://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2562

Reflexão
O texto de hoje aponta para a exclusão de quantos, interpelados por Deus, se negam a escutá-Lo. O seu juízo será pior do que o das cidades pagãs. Os milagres de Cristo são prova e sinal do Reino e da Salvação. Recusar esses sinais, é recusar a Deus e o seu Reino. É preciso uma conversão em profundidade, para que seja possível a mudança de estruturas na família e na sociedade.

Monday, July 15

Memória litúrgica de São Boaventura, bispo e doutor da Igreja


Liturgia da Palavra - https://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2561

São Boaventura
Nasceu aproximadamente no ano 1218 em Bagnoregio, na Etrúria; estudou filosofia e teologia em Paris e a seguir ensinou as mesmas disciplinas, com grande aproveitamento, aos seus irmãos da Ordem dos Frades Menores. Foi eleito Ministro Geral da sua Ordem, cargo que exerceu com prudência e sabedoria. Foi nomeado cardeal bispo de Albano e morreu em Lião no ano 1274. Escreveu muitas obras filosóficas e teológicas.

Reflexão
O Livro do Êxodo dá continuidade ao do Génesis, e descreve a situação dos israelitas no Egipto e a sua saída desse país, para eles terra de escravidão. Êxodo significa precisamente saída. É um livro de interesse excepcional na história do povo de Deus. Todo ele está impregnado da grande profissão de fé no Senhor, Deus único, que fez sair Israel do Egipto. Esta libertação do povo de Deus do país da escravidão, é a figura antecipada e anunciadora da futura Páscoa de Jesus Cristo, libertadora do povo que Deus veio a congregar na sua Igreja.
Cristo é, no mundo, sinal de contradição, como já o anunciara o velho Simeão. Os critérios do reino não se compadecem com a estreiteza dos nossos limites humanos. Ele vem trazer a paz, mas muitos, que não compreenderão essa sua missão, at
é por causa d’Ele se hão-de envolver em guerra e perseguir quem O quisera seguir.

Friday, July 12

Pensamento do dia: 12-07-2019

Se eu criar com o coração, quase tudo funciona, mas, se criar com a cabeça, quase nada. (Marc Chagall)

Sexta-feira da Semana XIV do Tempo Comum


Reflexão
Por fim, também o próprio Jacob, o pai de José, desce ao Egipto. A cena é apresentada quase como uma experiência de exílio total, mas já na perspectiva do futuro êxodo pascal, onde brilhará, de maneira única, a força e o poder do braço de Deus libertador. O Senhor renova as suas promessas a Jacob; estará com o povo no Egipto, e estará com ele também no êxodo futuro. Imenso horizonte se desenha diante dos olhos do velho patriarca, que, depois de voltar a ver o filho que julgara perdido, pode finalmente terminar em paz a sua carreira.
Jesus dá algumas instruções aos Apóstolos em ordem à sua actividade missionária, põe-os de sobreaviso em relação às perseguições futuras que virão a sofrer, como Ele as havia de sofrer também. Mas promete-lhes a sua presença junto deles até ao fim, depois de lhes fazer compreender que o testemunho que eles derem é já antecipação do último juízo de Deus. Não foi fácil a missão dos Apóstolos, como ainda hoje o não é a da Igreja. A palavra de Deus desencadeia sempre, ao lado do bom acolhimento de alguns, a indiferença, a irritação e até a perseguição de muitos. Porque será o homem tão obstinado em relação à palavra da salvação, quando é tão aberto a todas as demais palavras, por vezes tão sem sentido?