Monday, February 27

Segunda-feira da Semana VIII do Tempo Comum

Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/dia-liturgia/viii-semana-segunda-feira-tempo-comum-anos-pares/?mc_id=1347

Reflexão
Para alcançar a vida eterna há um caminho que passa pelo cumprimento dos mandamentos e pelo seguimento de Jesus. Um homem traz este desejo dentro de si e questiona Jesus sobre o que precisa de fazer. Fica contente ao saber que já tinha percorrido uma boa parte desse caminho. A segunda parte, porém, parece-lhe exigente. Demasiado exigente. Ele quer ganhar e não perder. Apresenta-se diante de Jesus com as suas riquezas e Jesus propõe-lhe que primeiro perca para depois ganhar: vai vender o que tens, dá o dinheiro aos pobres e terás um tesouro no Céu. Depois, vem e segue-Me. As riquezas tornaram-se mais pesadas e mais importantes do que o desejo da vida eterna, mais importantes do que seguir Jesus.

Sunday, February 12

“Se a vossa justiça não superar a dos escribas e fariseus”




 A Palavra de Deus deste 6º Domingo do Tempo Comum convida-nos a reflectir sobre o projecto que Deus nos deu para assumirmos com convicção a vida cristã.
Apela-nos à vivência da perfeição e à radicalidade de vida, a irmos ao fundamental da Sua mensagem: o cumprimento da Lei de Deus, que não passa por um cumprimento à letra e rigoroso mas a sabermos ser verdadeiramente livres e sábios para descobrirmos o amor de Deus e a caridade para com os outros.
Jesus veio propor-nos a perfeição dos mandamentos e da Lei. Ele não veio para abolir a lei que Deus ofereceu ao Seu povo no Sinai.
A proposta de Jesus é ir mais além da lei e assumir uma atitude interior de compromisso e responsabilidade com Deus tendo cumprimento na vida concreta de cada dia. Significa levar às últimas consequências e o cumprimento da Lei exige uma justiça ainda maior: “se a vossa justiça não superar a dos escribas e fariseus, não entrareis no reino dos Céus”.
Jesus apresenta-nos quatro exemplos bem concretos desta nova maneira de perceber e viver a Lei de Deus: nas relações com os outros, no adultério, no divórcio e na questão do juramento. É preciso um clima de sinceridade, de confiança, de verdade, de lealdade. A vossa linguagem deve ser: Sim, sim; não, não. O que passa disto vem do Maligno. É necessário haver uma coerência de vida, banir a mentira e guiar-se pelo Espírito de verdade e da Lei.
Peçamos ao Senhor que nos faça compreender a lei do amor. A cada um de nós é dirigida a exortação de Paulo: «Não te deixes vencer pelo mal, mas vence o mal com o bem» (Rm 12, 21). E ainda: «Não nos cansemos de fazer o bem» (Gal 6, 9). Como diz o Papa Francisco, na Evangelii Gaudium, “Não deixemos que nos roubem o ideal do amor fraterno”.

Friday, February 10

Sexta-feira da Semana V do Tempo Comum


Liturgia da Palavra - http://www.dehonianos.org/portal/dia-liturgia/tempo-comum-anos-impares-iv-semana-sexta-feira-2/?mc_id=1310

Reflexão
Jesus, ao dar vista aos cegos, ouvido aos surdos e voz aos mudos, está a dar cumprimento ao que os profetas tinham anunciado. Deste modo, ao mostrar compaixão para com os doentes e infelizes, Jesus revela-Se o Messias, o Enviado, o Ungido de Deus. Quando o homem se aproxima de Jesus Cristo, Ele faz com que se possa ouvir a palavra de Deus e professar a fé. É o segundo milagre que Jesus faz em território pagão e pretende continuar a descrição da actividade missionária da primeira comunidade cristã e assinalar a abertura dos pagãos à fé em Jesus Cristo. Em Jesus realizam-se as promessas de salvação. É um reconhecimento gozoso da eficácia da presença do reino de Deus.